Náutico de Mértola perde contrato de milhões por restrições ambientais

Náutico de Mértola perde contrato

O Clube Náutico de Mértola perdeu um contrato de quatro milhões de euros com a Federação Russa de Canoagem devido a restrições ambientais.
A situação é denunciada pelo deputado do PSD eleito por Beja, Mário Simões, que na passada semana visitou o município mertolense no âmbito do roteiro “14 Semanas, 14 Concelhos”, tendo aproveitado a ocasião para comprovar o trabalho desenvolvido por diversas instituições, entre as quais o Náutico de Mértola.
Durante a visita, Simões teve conhecimento de que o clube perdeu um contrato com os russos no valor de um milhão de euros por ano, ao longo de quatro anos, “porque a legislação é muito restritiva e arcaica, impedindo a utilização de barcos a motor” na Tapada Grande para o acompanhamento dos treinos.
Na opinião do deputado do PSD, esta é uma situação “lamentável e absurda”, lembrando que, por exemplo, na albufeira de Alqueva já “navegam inúmeras embarcações a motor que são obrigadas a respeitar as restrições de natureza ambiental, o que deveria ter sido seguido na Tapada Grande”.
Mário Simões “condena” esta legislação “obsoleta e restritiva”, que, “muitas vezes é, infelizmente, potenciada pela insensibilidade social e económica de quadros e dirigentes da administração pública”, defendendo que se exija apenas “o uso de barcos com características diferentes, nomeadamente no uso de biocombustíveis”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima