InAlentejo duplicou execução em 2012

InAlentejo duplicou

A taxa de execução do InAlentejo – Programa Operacional Regional do Alentejo 2007-2013 praticamente duplicou durante o ano de 2012, passando de 22% para cerca de 43%.
“Em 2012 conseguimos praticamente duplicar aquilo que foi [a execução] em cinco anos. De 2007 a 2012 a execução era de 22% e num ano duplicámos essa taxa, para sensivelmente 43%”, revelou esta quinta-feira, 28, ao “CA” o vogal executivo do InAlentejo, António Costa da Silva.
Para este responsável, o resultado da execução do InAlentejo entre 2007 e o final de 2011 “era péssimo”, sendo que a actual comissão directiva conseguiu ao longo de 2012 implementar uma série de medidas, sobretudo de simplificação, que permitiram colocar o programa “em velocidade de cruzeiro”.
“Estamos a melhorar significativamente e estamos convencidos que este ano vamos dar outro pulo, para cerca de 60% [de taxa de execução]. E teremos mais dois anos para executar o programa operacional até ao seu encerramento. Por isso, consideramos que estamos no bom caminho e que as coisas ganharam um novo rumo e um novo ritmo”, vincou António Costa da Silva.
O vogal executivo do InAlentejo garantiu igualmente que não haverá dinheiro a ser devolvido a Bruxelas no final de 2015 por falta de execução.
“A execução depende dos nossos agentes, mas pelo nível de compromisso que existe actualmente, que anda na ordem dos 100%, parece-nos que o Alentejo não tem de se preocupar com essa matéria”, afiança.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima