Haverá uma nova mina no Campo Branco?

Haverá uma nova mina no Campo Branco?

A investigação vai avançar e existem dados sólidos que dão muita esperança: há uma nova mina “à vista” e a sua localização pode ser nos concelhos de Aljustrel, Castro Verde e Ourique. Para já, o Governo assinou três contratos de prospecção e pesquisa mineira com o grupo turco ESAN e a Empresa de Desenvolvimento Mineiro (EDM), num investimento global inicial de 8,1 milhões de euros.
“Desde a década de 70 e 80 e que estiveram na origem dos diversos jazigos explorados na mina de Neves-Corvo e na mina de Aljustrel, que não se realizava uma campanha de prospecção geofísica com uma magnitude como a que agora é proposta pelas duas empresas”, revela em entrevista ao “CA” o secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, confirmando que dois dos acordos foram celebrados com o grupo turco e o outro diz respeito à EDM.
As áreas designadas por “Alcácer” e “São Pedro das Cabeças”, abrangidas pelos contratos celebrados com a ESAN, situam-se nos concelhos de Alcácer do Sal e Grândola (distrito de Setúbal) e Aljustrel, Castro Verde e Ourique. A parceria, controlada em 85% pela ESAN e em 15% pela EDM, contempla, além das referidas áreas, o projecto de prospecção denominado por “Montes das Mesas”, no concelho de Aljustrel.
Quanto ao contrato de prospecção e pesquisa assinado entre o Estado e a EDM, abrange uma área denominada como “Rosário”, englobada nos concelhos de Aljustrel, Almodôvar, Castro Verde e Ourique, sendo estimado “um investimento inicial de meio milhão de euros”.
“Naturalmente que é necessário realizar trabalho e investimento para realizar novas descobertas, daí a importância dos presentes contratos”, adianta Jorge Seguro Sanches, explicando logo a seguir que a EDM “esteve sempre ligada a todos os projectos mineiros de relevância para Portugal”, como é o caso da descoberta da Mina de Neves-Corvo e dos novos jazigos actualmente explorados na Mina de Aljustrel.
Admitindo que tem “a plena consciência que qualquer acção realizada terá sempre um horizonte de vários anos e que os resultados nunca serão de curto prazo”, Jorge Seguro Sanches sustenta que “existe a necessidade clara, por parte de todos os intervenientes políticos, que deve haver uma manutenção de políticas sectoriais” que permita a persecução de “resultados capazes de influenciar positivamente a criação de riqueza e de emprego”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Escola Mário Beirão reabre em Beja

A Escola Básica Mário Beirão, em Beja, reabre esta segunda-feira, 27, para os alunos dos ensinos pré-escolar e primeiro ciclo, depois que as inundações provocadas

Role para cima