Governo Civil: Manuel Monge considera decisão "legítima" mas avisa que é "uma precipitação"

Governo Civil: Manuel Monge considera decisão "legítima" mas avisa que é "uma precipitação"

O major-general Manuel Monge não concorda com a extinção do cargo de governador civil, mas aceita a decisão do novo executivo, que considera “legítima”, lembrando que essa proposta está no programa eleitoral do PSD, que foi sufragado pelos portugueses.
Por outro lado, Manuel Monge defende que o desaparecimento do cargo de governador, em termos de organização da administração pública “é uma precipitação” porque, no seu entendimento, “daqui a algum tempo ver-se-á que os governadores civis fariam falta”.
Manuel Monge, que ocupava desde 2005 o cargo de governador civil, revelou ainda que já tinha apresentado o seu pedido de demissão antes de o novo primeiro-ministro ter anunciado a decisão de não nomear novos governadores.
Refira-se que também os restantes 17 governadores civis demitiram-se dos seus cargos após o novo primeiro-ministro ter confirmado que não vai nomear ninguém para estes postos.

Partilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima