Furtos de óleo alimentar usado aumenta no Baixo Alentejo

Furtos de óleo alimentar usado

Os furtos de óleo alimentar usado depositado em oleões têm aumentado de forma "exponencial" ao longo deste ano no Baixo Alentejo, sobretudo na cidade de Beja.
Em 2012 foram furtados mais de 2.000 litros e em comunicado enviado à Agência Lusa a empresa responsável pela recolha e pela posterior venda do resíduo, a Resialentejo, refere que, desde o início deste ano, "tem constatado um aumento exponencial" de furtos de óleo alimentar usado e depositado por empresas e particulares nos oleões de que é proprietária e estão instalados nos concelhos de Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura e Serpa.
Apesar de terem ocorrido anteriormente "furtos de pequenas quantidades" de óleo alimentar usado dos oleões instalados nos oito municípios, as quantidades furtadas desde o início deste ano, "principalmente na cidade de Beja, têm sido significativas do ponto de vista económico", refere a empresa.
Os furtos têm-se traduzido na "diminuição" das quantidades de óleo alimentar usado recolhidas, globalmente, nos oleões instalados nos oito municípios, lamenta a empresa, que já apresentou uma queixa contra desconhecidos no Ministério Público de Beja.
A Resialentejo estima que tenham sido furtados mais de 2.000 litros de óleo alimentar usado em 2012 só na cidade de Beja, onde estão instalados 15 oleões da empresa.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima