Freguesia de Casével luta com todas as forças contra a extinção

Freguesia de Casével luta com todas as forças contra a extinção

Em 2010 a vila de Casével celebrou os 500 anos da atribuição da carta de foral por D. Manuel I, mas dois anos depois combate como pode para evitar a sua extinção enquanto freguesia.
O assunto continua a preocupar os poucos mais de 300 habitantes da localidade e a presidente da Junta promete continuar a lutar com os meios à disposição para evitar o desfecho menos aguardado.
"Não queria de maneira nenhuma que a freguesia deixasse de existir. Já fomos sede de concelho, deixámos de o ser e voltámos a ser freguesia. E agora não queria que também deixássemos de ser freguesia. Por isso, iremos continuar a lutar até às últimas instâncias para que a extinção não aconteça", promete Fernanda Felício, de 52 anos, para quem a perda dos eleitos vai fazer com que "a terra não fique da mesma forma".
A autarca eleita desde 2005 pela CDU teme igualmente que a possível extinção venha a agudizar os dois maiores problemas sentidos pela freguesia: o envelhecimento da população e o seu consequente despovoamento.
"Assim ninguém se irá instalar em Casével, perdendo-se alguma da qualidade de vida que se tem neste momento. O que é pena, porque Casével é uma das localidades que neste momento até está com alguns incentivos ao nível de postos de trabalho, pois temos a Unidade de Cuidados Continuados e o lar [ambos da Fundação Joaquim António Franco]. E estamos a fazer um segundo lar", justifica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima