Exposição “Gonçalves Correia – a utopia de um cidadão” na Biblioteca de Beja

Exposição “Gonçalves Correia – a utopia de um cidadão” na Biblioteca de Beja

Uma exposição sobre o anarquista alentejano Gonçalves Correia, considerado “um homem ímpar” do século XX, e os seus ideais anarco-sindicalistas, como o pacifismo e o amor pela liberdade, pode ser apreciada a partir desta quinta-feira, 17, em Beja.
A exposição “Gonçalves Correia – a utopia de um cidadão” vai estar patente até 9 de Junho na cafetaria e no átrio da Biblioteca Municipal José Saramago.
António Gonçalves Correia, anarquista, caixeiro-viajante, ensaísta, poeta e humanista português, perdura na memória de muitos alentejanos e na história da luta social do Baixo Alentejo como um “revolucionário” que percorreu a região difundido o ideal anarquista.
Gonçalves Correia, que nasceu em São Marcos da Atabueira (Castro Verde) em 1886 e morreu em Lisboa em 1967, foi fundador da primeira comunidade anarquista em Portugal, a Comuna da Luz, colaborou com vários jornais e publicou as obras <b><i>Estreia de um Crente</i></b> (1917) e <b><i>A Felicidade de todos os Seres na Sociedade Futura</i></b> (1921).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima