"Diário do Alentejo" celebra oito décadas de existência com "novos desafios"

"Diário do Alentejo" celebra oito décadas de existência com "novos desafios"

O “Diário do Alentejo”, jornal de referência do distrito de Beja, completa esta sexta-feira, 1 de Junho, 80 anos de vida.
Um percurso longo, repleto de episódios marcantes, que acabam por reflectir a vida de uma terra inteira.
Apesar da crise, o jornal mantém o seu percurso equilibrado e prepara-se para assumir outros desafios editoriais. O director, Paulo Barriga, explicou ao “Correio Alentejo” porque temos hoje “um título utilitário” que aposta na Internet e está, por isso, “a conquistar novos públicos que, tradicionalmente, não consumiriam a edição em papel”.

<b>Que realidade vive o "DA" no momento em que celebra 80 anos?</b>
O “DA” passa neste momento pelas dificuldades que são comuns aos demais órgãos de comunicação sociais de proximidade. A crise económica e financeira reflecte-se com grande intensidade na angariação de publicidade que é a grande fonte de receita de qualquer meio. No entanto, conseguimos estabilizar o número de assinantes e de vendas em banca. Aliás, assinalamos um leve acréscimo de leitores que permanecem fiéis ao jornal e que o querem receber em suas casas. Penso que este facto possa estar relacionado não apenas com a reformulação da linha editorial do jornal, que está mais próxima das pessoas e das suas realizações. Hoje, o “DA” é mais um título utilitário, tem mais características de semanário, com histórias mais desenvolvidas. Não é tanto um jornal de notícias, diarístico.

<b>A celebração dos 80 anos tem um programa próprio?</b>
Por dificuldades financeiras não iremos apresentar um programa festivo próprio. Iremos celebrar os nossos 80 anos relembrando a história e os protagonistas do jornal, assim como os principais acontecimentos no Alentejo nestas últimas oito décadas. Mas não deixaremos de realizar, até ao final do ano, algumas iniciativas. Na sexta-feira termina no CCD do Hospital de Beja uma exposição filatélica alusiva à efeméride, com selo próprio e carimbo comemorativo dos CTT. Na segunda estaremos no espaço Vovó Joaquina a apresentar o livro de crónicas de Ana Paula Figueira. Para o final do mês lançaremos um álbum com as melhores ilustrações do Paulo e da Susa Monteiro, do qual faremos uma exposição itinerante. E outras iniciativas se seguirão.

<b>LEIA A ENTREVISTA DE PAULO BARRIGA NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO DE 1 DE JUNHO DO "CORREIO ALENTEJO", JÁ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima