Covid-19. Testagem “massiva” avança no concelho de Odemira

As autoridades de saúde vão realizar, durante esta semana, a “testagem massiva” à Covid-19 de cerca de 4.000 trabalhadores migrantes do setor agrícola no concelho de Odemira, anunciou nesta segunda-feira, 5, o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo.

Em Odemira “há muitos migrantes que são uma preocupação” e “esta semana estamos a pensar fazer entre 3.000 e 4.000 testes em profissionais migrantes que estão nas empresas, particularmente agrícolas”, disse José Robalo em declarações à rádio Antena 1.

O presidente da ARS do Alentejo disse ainda que “a testagem, o isolamento dos casos positivos e a identificação dos contactos tem que ser muito acompanhada de perto, para que eventualmente não tenhamos dimensões maiores de infeções” por Covid-19.

Segundo a Câmara de Odemira, em comunicado enviado ao “CA” nesta terça-feira, 6, a testagem será concretizada “através de um centro móvel” e, nesta primeira fase, “está a decorrer nas empresas de atividade agrícola”.

“A realização dos testes estará a cargo da Cruz Vermelha Portuguesa, que disponibilizou várias equipas no terreno”, e terá lugar nas empresas associadas na Associação de Horticultores, Fruticultores e Floricultores (AHSA) e na Lusomorango, complementa, também em comunicado, a Unidade Local de Saúde do Alentejo Litoral (ULSLA).

A Câmara de Odemira adianta ainda que, depois, a testagem “prosseguirá para os serviços municipais essenciais, designadamente os serviços de abastecimento de água e de águas residuais, de recolha e gestão de resíduos, de transportes e proteção civil e depois para outros serviços e à população em geral”, explicando que “ainda esta semana será instalado um centro de testagem fixo em Odemira, onde a população poderá deslocar-se para realizar, de forma gratuita, o teste à Covid-19”

A autarquia frisa que “a operacionalização da testagem resulta de uma estreita articulação entre a Autoridade Local de Saúde, Unidade de Saúde Pública/ULSLA, ARS do Alentejo, Município de Odemira e Serviço Municipal de Proteção Civil, Cruz Vermelha Portuguesa, entidades locais e regionais”, numa iniciativa que contou “com o envolvimento direto” do secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, e do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Sales.

Recorde-se que Odemira é, a par de Moura, um dos 19 concelhos de Portugal continental que estão acima do limiar de risco definido pelo Governo, ambos com mais de 300 novos casos de Covid-19 por 100 mil habitantes entre 17 e 30 de março.

É nestes 19 concelhos que deve haver maior “cautela” nas duas próximas semanas, sob pena de, a 19 de abril, não avançarem da segunda para a terceira fase de desconfinamento.

Notícia atualizada na terça-feira, 6, pelas 12h00, com as informações adiantadas pela Câmara de Odemira e pela ULSLA em comunicados

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima