Concelho de Odemira já acolhe 25 refugiados ucranianos

Um total de 25 refugiados da Ucrânia, entre os quais 16 crianças, chegaram nos últimos dias ao concelho de Odemira, estando prevista a chegada de “cerca de mais 40 famílias” ucranianas nas próximas duas semanas.

Os números foram confirmados ao “CA” pela vereadora da Câmara de Odemira com o pelouro da Ação Social, Isabel Raposo, que adiantou que no próximo domingo, 13, “há a perspetiva de chegarem mais quatro famílias”.

“E ao longo das próximas duas semanas poderão chegar” ao município do litoral alentejano “mais cerca de 40 famílias no total”, disse.

O processo de acolhimento de refugiados ucranianos em Odemira partiu da iniciativa de alguns cidadãos ucranianos que residem no concelho e que entraram em contacto com o Instituto de Nossa Senhora de Fátima (INSF), de Vila Nova de Milfontes.

A maioria das famílias acolhidas no concelho de Odemira fugiu da Ucrânia através da fronteira com a Polónia, que será também o “canal de passagem” dos refugiados esperados nas próximas semanas.

Até lá, a Câmara de Odemira vai promover um trabalho “de colaboração” com outras entidades, nomeadamente das áreas da saúde, da educação e do emprego, para proceder à “caracterização” destas pessoas.

“Queremos ver qual é a idade das crianças para podermos enquadra-las no respetivo nível de ensino e até as habilitações profissionais da mães e dos adultos que acompanham as crianças, para depois, numa segunda fase, vermos como é que podemos enquadrá-las no mercado de trabalho”, explicou a vereadora Isabel Raposo.

De acordo com a vereadora, o objetivo é vir a ter “uma resposta multidisciplinar para responder às diferentes necessidades desta comunidade, que está bastante vulnerável” e que vai precisar de apoio “para melhor se enquadrar no concelho”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima