Aproveitar o que já existe

Sexta-feira, 10 Junho, 2016

Carlos Pinto

director do correio alentejo

Uma das regras capitais para o sucesso de qualquer negócio é tirar partido do que tem em mãos: seja a mais-valia dos seus qualificados recursos humanos, seja a especialização qualitativa dos seus serviços, seja o aproveitamento dos espaços físicos que tem à sua disposição. Não há empresa (de sucesso) alguma que não siga estas máximas. E se tal funciona em mercados altamente competitivos, por que não aplicar a mesma receita a outras escalas da economia, nomeadamente na tão necessária Economia Social.
Vem isto a propósito da situação bastante complicada em que se encontra a Unidade de Cuidados Continuados de Média Duração e Reabilitação de Casével, propriedade da Fundação Joaquim António Franco e Seus Pais. A funcionar desde 2011, a unidade tem acumulado prejuízos num valor total a rondar o meio milhão de euros, uma vez que o número de camas financiadas pelo Estado (21) não é suficiente para fazer face às despesas que uma infra-estrutura desta natureza implica. Daí que a solução tenha de passar, inevitavelmente, por mais camas comparticipadas pelo Ministério da Saúde.
Tivesse este reforço de camas que implicar mais espaço e, consequente, obras e mais despesas financeiras, e era legítimo que tudo se complicasse. Mas neste caso concreto basta somente a assinatura do ministro para o apoio de mais camas, que o espaço está lá todo à disposição.
Um desfecho simples para um problema que o anterior Governo nunca demonstrou vontade de querer resolver. Já o actual executivo assumiu recentemente a ambição de alargar a Rede Nacional de Cuidados Continuados. E no caso de Casével (como em outros existentes pelo país) trata-se simplesmente de aproveitar o que já existe. Assim se garantirá a sustentabilidade do serviço e, simultaneamente, se aumentará a capacidade de resposta da região numa área tão sensível como são os cuidados continuados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima