A tentação de controlar

Quinta-feira, 30 Abril, 2015

Carlos Pinto

director do correio alentejo

Três deputados do PSD, CDS-PP e PS andaram durante algum tempo a preparar uma nova regulamentação para a cobertura das campanhas eleitorais por parte da comunicação social. Foram semanas de conversações e troca de ideias que não chegaram a dar corpo a uma tentativa de projecto de lei. Felizmente! Porque o que se começou desde logo a vislumbrar foi a tentativa de os partidos políticos assumirem a coordenação das redacções em tempo de eleições.
Perante aquilo que se anunciava, os principais órgãos de comunicação social do país rapidamente se uniram e gritaram em uníssono que não aceitavam tal interferência no seu trabalho. A indignação, partilhada por alguns responsáveis políticos, acabou por atingir tal nível que tudo voltou à estaca zero. O que é uma boa notícia para a democracia em Portugal.
Será bom não esquecer que durante mais de 40 anos o país viveu agrilhoado e com medo. Fosse nas ideias, nas palavras ditas nos café ou nas opções políticas. Foram tempos escuros em que só o azul do lápis da censura dava alguma cor à imprensa nacional. Mas tudo mudou em Abril de 1974 e desde então que Portugal melhorou em todos os aspectos. E para isso muito se deve também à comunicação social, que – mais vezes bem que mal – soube fazer o seu trabalho de noticiar e informar, nem que isso fosse adverso àqueles que vão ordenando.
É por tudo isto que esta tentativa de regulamentar/ controlar o que seria feito em tempo de campanha por uma comissão dita “independente” cheirava a bafio e não deixava antever nada de bom. Se tal se concretizasse, seria o início de uma caminhada que dificilmente não terminaria no abismo de onde saímos há apenas 41 anos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima