CIMBAL critica projeto para abastecer Algarve a partir do Pomarão

Os municípios do Baixo Alentejo criticam o projeto para abastecer o Algarve a partir de uma nova captação de água no Guadiana, junto à localidade de Pomarão, no concelho de Mértola, exigindo que este também possa servir as populações locais.

A tomada de posição foi aprovada, por unanimidade, na segunda-feira, 8, em reunião do conselho intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL).

No documento, enviado ao “CA”, a CIMBAL sustenta que o projeto de captação de água do rio Guadiana no Pomarão para abastecimento ao Algarve, através de uma conduta adutora até à albufeira de Odeleite, no concelho de Castro Marim, esteve em consulta pública até 29 de abril e mereceu parecer negativo da Câmara de Mértola e da Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública do Alentejo (AMGAP).

Segundo os municípios, o concelho de Mértola é um dos territórios mais suscetíveis à desertificação, marcado pelo clima semiárido e vulnerável às alterações climáticas”, debatendo-se “com escassez de água e elevado ‘stress’ hídrico, agravados por períodos de seca mais prolongados”.

“Acresce que muitas das localidades são abastecidas com recurso a captações subterrâneas”, lê-se no documento, onde se recorda que, “por largos períodos, o único recurso para o abastecimento público são os transportes frequentes com utilização de autotanque”.

De acordo com a CIMBAL, é isto que sucede na freguesia de Espírito Santo, onde o projeto elaborado pela empresa Águas do Algarve, prevê a criação de uma captação de água superficial na zona estuarina do rio Guadiana, junto à povoação de Mesquita.

Nesse âmbito, continua a tomada de posição, “fará todo o sentido existir uma conjugação de esforços que permita ajudar a solucionar o problema de falta de água nesta freguesia do concelho de Mértola, aproveitando o projeto de reforço de abastecimento de água ao Algarve”.

No documento, a comunidade intermunicipal exorta todos os envolvidos “a procurar condições para o abastecimento público de água às localidades da freguesia do Espírito Santo, a partir do projeto proposto ou de outras soluções técnica e financeiramente mais convenientes”.

A CIMBAL acrescenta que a tomada de posição vai ser remetida a diversas entidades, nomeadamente o Ministério do Ambiente e Energia, Agência Portuguesa do Ambiente, Águas do Algarve, S.A., Águas Públicas do Alentejo, S.A., e comissões de coordenação e desenvolvimento regional do Alentejo e do Algarve, entre outras.

O projeto de captação de água do rio Guadiana no Pomarão para abastecimento ao Algarve, incluído no Plano Regional de Eficiência Hídrica da região, está avaliado em cerca de 61,5 milhões de euros e é apoiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Partilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima