Cercibeja avalia saúde mental de mulher que viveu "isolada"

Cercibeja avalia saúde mental

A mulher que viveu 23 anos "isolada do mundo" e foi encontrada num estado "quase animal" no Baixo Alentejo está "bem" e a partir desta quarta-feira, 12, vai ser avaliada por técnicos para se saber se tem alguma deficiência mental.
"A Ana de Fátima, aparentemente, está bem", disse à Agência Lusa Nuno Sousa, o director do Centro Social e Paroquial de Brinches, onde a mulher vive desde o passado dia 29 de Novembro, quando foi encontrada num estado "quase animal" num monte isolado no concelho de Serpa.
A partir desta quarta-feira, 12, a mulher, de 33 anos, vai ser avaliada por técnicos da Cercibeja – Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Beja para se saber se tem alguma deficiência mental ou se o seu comportamento se deve ao facto de "ter passado muito tempo isolada do mundo", indicou.
Segundo o responsável, a mulher já foi submetida a exames no Hospital de Serpa, onde lhe foi diagnosticada uma anemia, e avaliada pela médica do Centro Social e Paroquial de Brinches.
De acordo com a avaliação da médica do centro, precisou, a mulher tem "um discurso incoerente, com repetições de palavras", "movimentos contorcidos", uma dentição "em mau estado" e com vários dentes partidos e hematomas na cabeça.
A mulher tem também "alguns danos" na coluna e, por isso, "vai ter que ser submetida, o mais rápido possível, a fisioterapia", disse Nuno Sousa, referindo que, apesar de tudo, a Ana "está a evoluir bem".
Ana de Fátima, que vivia "completamente isolada do mundo" desde os 10 anos, foi encontrada num estado "quase animal" num monte isolado na freguesia de Vale de Vargo, onde residia com os pais idosos e uma irmã mais velha.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima