Castro Verde. Museu da Ruralidade lança três livros infantis

O ciclo da lã, a escola durante o período do Estado Novo e a(s) história(s) da aldeia comunitária dos Aivados são o mote dos três livros infantis que a Câmara de Castro Verde, através do Museu da Ruralidade, vai editar no próximo mês de Março.

O Mistério da Casa da Tia Prudência, Uma Viagem no Tempo e À Descoberta do Tesouro têm textos de Constantino Piçarra e ilustrações de Joaquim Rosa e desafiam os mais jovens a “viajar no tempo” e ir ao encontro da(s) memória(s) locais, sendo lançados para assinalar as datas de aniversário dos núcleos museológicos do Museu da Ruralidade nas aldeias de Lombador, Almeirim e Aivados.

“Este projecto nasceu da ideia de que era importante que a informação contida nos diferentes pólos do Museu da Ruralidade chegasse com mais facilidade às crianças e jovens que nos visitam acompanhados quer pelos familiares, quer no âmbito de visitas de estudo organizadas pelos estabelecimentos de ensino”, explica Constantino Piçarra, um dos autores das três obras e também responsável pelo Museu da Ruralidade.

Segundo o historiador, os três livros, baseados nos “conteúdos dos núcleos museológicos”, vão ser distribuídos “pelos alunos dos primeiro, segundo e terceiro ciclos do ensino básico do concelho de Castro Verde e pelos respectivos estabelecimentos de ensino, para que se possam constituir num instrumento importante de preparação de visitas ao Museu da Ruralidade”.

“Por outro lado, estas histórias surgiram ainda com o propósito de servirem de base à realização de um conjunto de actividades por parte do Museu tendo como público-alvo os visitantes mais jovens, de forma a lhes propiciar uma visita lúdica e imaginativa, captando-lhes assim a atenção e a curiosidade pelo conhecimento da actividade quotidiana dos seus avós e bisavós”, acrescenta.

“Este projecto nasceu da ideia de que era importante que a informação contida nos diferentes pólos do Museu da Ruralidade chegasse com mais facilidade às crianças e jovens que nos visitam.”

Constantino Piçarra | autor e responsável pelo Museu da Ruralidade

Nesse sentido, em O Mistério da Casa da Tia Prudência, dedicado ao Núcleo do Lombador, é contada a história de Toino e Joana, duas crianças que se veem envolvidas “num mistério” e que, enquanto o tentam desvendar, “vão descobrindo as diferentes fases pelas quais passa a lã, desde a tosquia até à sua transformação em mantas”.

Uma Viagem no Tempoconta a história de Mariana e Pedro, dois jovens da cidade em férias na casa dos avós na aldeia de Almeirim, que um dia “ultrapassam o portal do tempo e vão ter à escola que era frequentada pelos seus avós nesta mesma localidade”, vendo com os “seus olhos de espanto” como era “um dia na escola primária do Estado Novo”.

Por fim, em À Descoberta do Tesouro encontramos João e Amélia, que “intrigados” com um mapa que encontram no sótão da casa dos pais, em Almada, vão descobrir, com a ajuda preciosa do avô, “a enorme riqueza da história dos Aivados, a terra dos seus familiares”. 

“Cada história esgota-se em si mesmo, não tendo nada a ver uma com as outras. E cada uma delas tem como de fundo da trama ficcional a realidade económica, social e cultural retratada em cada um dos pólos do Museu da Ruralidade”, afiança Constantino Piçarra.

Depois destas três edições, o Museu da Ruralidade conta editar, “por altura do Verão, uma outra referente a Entradas” e cujo tema central “será o semear do trigo, a monda, a ceifa e a debulha”, acrescenta o autor.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima