Casa Agrícola Cortez de Lobão investe sete milhões de euros em olival e lagar em Serpa

Casa Agrícola Cortez de Lobão investe sete milhões de euros em olival e lagar em Serpa

A Casa Agrícola Cortez de Lobão está a plantar 600 mil oliveiras e a construir um lagar no concelho de Serpa, num investimento de sete milhões de euros que irá permitir duplicar a produção de azeite.
Das novas 600 mil oliveiras, 300 mil já estão plantadas na herdade Maria da Guarda e as restantes vão ser plantadas até à primavera de 2012 naquela e na herdade vizinha da Capela, disse à Agência Lusa João Cortez de Lobão.
Após a conclusão da plantação do novo olival, que vem juntar-se às 500 mil oliveiras plantadas numa primeira fase na herdade Maria da Guarda, a casa agrícola, no total das duas herdades, ficará com um milhão e 100 mil oliveiras de quatro variedades e dispersas por 1.350 quilómetros de linhas de árvores.
O lagar, que está a ser construído na herdade Maria da Guarda, deverá ficar concluído “entre o final deste ano e o primeiro trimestre do próximo ano” e começar a funcionar na campanha olivícola de 2012, estimou João Cortez de Lobão.
O novo lagar terá capacidade para transformar 450 toneladas de azeitona por dia, o equivalente a uma produção de mais de seis mil toneladas de azeite por campanha olivícola, precisou.
Através do investimento no novo olival e no lagar, a herdade Maria da Guarda irá “duplicar” a produção de azeite, disse o responsável, referindo que este ano a herdade produziu 500 toneladas de azeite e prevê produzir 700 toneladas em 2012 e um milhão de toneladas de azeite em 2013.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

ULSBA participa em projecto europeu

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) candidatou-se ao projecto europeu de facturação electrónica “European Hospitals adopting the e-invoicing Directive”, aprovado pela INEA

CIMBAL apresenta propostas para o PRR

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) submeteu vários contributos ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no âmbito da consulta pública promovida ao documento.

Role para cima