Autarca de Beja quer nova linha de alta velocidade a passar pelo concelho

Paulo Arsénio

O presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, considera que a criação de uma nova linha ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e o Algarve, que passe pelo interior, é a opção que tem “mais lógica”.

“Dentro das duas possibilidades que o Plano Ferroviário Nacional (PFN) coloca para fazer esta ligação [entre Lisboa e o Algarve em alta velocidade], esta é que tem mais lógica e a que é mais rápida”, diz o autarca baixo-alentejano ao “CA”, questionado a propósito do PFN, apresentado pelo Governo na semana passada e que se encontra em fase de discussão pública.

O plano prevê um estudo sobre a ligação de alta velocidade entre Lisboa e o Algarve, com duas alternativas: a modernização da linha existente para reduzir a viagem em cerca de 30 minutos ou um novo eixo que inclua Évora, Beja e Faro, com tempo de viagem Lisboa – Faro inferior a duas horas.

“Parece-nos que esta opção é aquela que faz mais sentido”, pois “toca todas estas cidades, colocando-as a curta distância umas das outras, com a possibilidade de podermos ter ligações a Espanha”, observa Paulo Arsénio.

“Dentro das duas possibilidades que o Plano Ferroviário Nacional coloca para fazer esta ligação [entre Lisboa e o Algarve em alta velocidade], esta é que tem mais lógica e a que é mais rápida”, afirma Paulo Arsénio.

Na opinião do edil socialista, a criação deste corredor seria “benéfico para a economia” regional, “turismo incluído”, e “eventualmente para o aeroporto de Beja”, além de permitir “uma ligação a território espanhol”.

Por isso, diz, “faz todo o sentido” criar esta ligação ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e o Algarve passando por Évora e Beja.

“Não nos cabe na cabeça que a opção possa ser pela continuidade de uma linha, que sendo naturalmente muito importante, não une estes pontos fulcrais do território e, além disso, consome mais tempo de viagem para quem a utiliza”, justifica.

No PFN consta igualmente a eletrificação do troço da Linha do Alentejo entre Casa Branca e Beja até 2030, projeto que o presidente da Câmara Municipal diz ser “o mais urgente e mais fundamental para o território nesta fase”.

Nesse sentido, Paulo Arsénio afirma ser “expectável que em 2028 a ligação elétrica entre Beja e Casa Branca exista”.

Para o presidente da Câmara de Beja, “é muito importante” que o concelho esteja presente no PFN, mas deixa um alerta: “Mas é também muito importante que os planos se cumpram e que não fiquem a meio, porque isso tem prejudicado sistematicamente Beja”.

Opinião

Carlos Pinto

5 de Julho, 2024

O salário dos políticos

Napoleão Mira

5 de Julho, 2024

Avô Montes

Carlos Pinto

21 de Junho, 2024

O Segredo de justiça existe?

Vitor Encarnação

21 de Junho, 2024

Solidão

Carlos Pinto

7 de Junho, 2024

O problema da imigração

Napoleão Mira

7 de Junho, 2024

Mestre Vargas, Um Barbeiro Invulgar

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima