Vereadora eleita pelo Chega em Moura passa a independente

A vereadora Cidália Figueira, eleita na Câmara de Moura pelo Chega nas eleições autárquicas deste ano, passou a independente, anunciou a própria em entrevista ao jornal “A Planície”.

De acordo com a autarca, em causa estão “divergências políticas” surgidas durante a campanha com os restantes candidatos do partido no concelho e, “sobretudo”, com a Distrital.

Cidália Figueira acrescenta que “na véspera da tomada de posse”, no passado mês de outubro, teve lugar uma reunião “em que estavam presentes alguns elementos que fazem parte da bancada da Assembleia Municipal”, incluindo o presidente do partido, André Ventura, que foi o cabeça-de-lista do Chega à Assembleia Municipal de Moura.

“Tivemos uma conversa, mais séria, sobre o balanço de toda a campanha, onde manifestei novamente o meu desagrado de tudo o que se tinha passado”, conta a vereadora, garantindo que, na altura, André Ventura assegurou que se iria “pôr um ponto final na situação e que após a tomada de posse as coisas seriam sanadas e ia haver uma viragem para que houvesse união”.

Contudo, continua Cidália Figueira, na cerimónia da tomada de posse nenhum dos eleitos do Chega a cumprimentou, “inclusivamente André Ventura”.

“Ora as conclusões são fáceis de tirar. Vi que não houve qualquer interesse na minha pessoa e uma vez que isso aconteceu, decidi comunicar ao partido” que “resolvi passar a vereadora independente inscrita”, diz Cidália Figueira, concluindo: “Embora me reveja na ideologia política do Chega, não me revejo nas atitudes que tiveram comigo”.

Recorde-se que nas eleições autárquicas de 26 de setembro, foi o PS a ganhar a Câmara de Moura, tendo Álvaro Azedo garantido a reeleição com 40,31% dos votos e três eleitos.

Seguiu-se a CDU (38,97% e três eleitos) e o Chega (14,35% e um eleito).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima