Urgências de Estremoz com falta de médicos

Urgências de Estremoz

O PCP de Estremoz manifestou esta segunda-feira, 11, preocupação com a "recorrente falta de médicos" no Serviço de Urgência Básica (SUB) da cidade, mas os responsáveis da unidade garantem que a situação tem sido "resolvida".
"São várias as denúncias que chegam até nós e que a empresa a quem foi atribuída esta responsabilidade tarda em resolver", refere em comunicado a comissão concelhia do PCP.
O SUB do Centro de Saúde de Estremoz serve, além deste concelho, as zonas limítrofes de Borba e Vila Viçosa.
"O incumprimento do estipulado com a empresa que contrata os médicos das urgências coloca em risco a população desta região", alertam os comunistas.
O PCP considera que "deste facto não é dissociável a responsabilidade do Governo, que, através da subcontratação destas empresas, não assegura um Serviço Nacional de Saúde que preste um verdadeiro serviço público, que corresponda às necessidades das populações".
Contactada pela agência Lusa, a directora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde do Alentejo Central, Teresa Caldas, admitiu a existência de "problemas pontuais" com a empresa de prestação de serviços contratada para assegurar o SUB, mas que têm sido "resolvidos" por médicos dos centros de saúde.
"Pontualmente tem havido alguns problemas por parte da empresa, mas situações de ruptura ainda não houve", indicou a responsável, assegurando que os médicos integrados nos centros de saúde do agrupamento "têm avançado para dar resposta a situações de incumprimento da empresa".
Assegurando que "a população pode estar tranquila", Teresa Caldas referiu que a Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo está "atenta e preocupada" com a situação e pretende "resolver o problema" com a empresa de prestação de serviços.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima