ULSBA desmente dados do Observatório Português dos Sistemas de Saúde

ULSBA desmente dados do Observatório Português dos Sistemas de Saúde

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) considerou esta quarta-feira, 15, “falsos” os dados do Observatório dos Sistemas de Saúde sobre tempos de espera para consultas no hospital de Beja e admitiu recorrer aos tribunais para repor a verdade.
Os dados do “Relatório da Primavera” do observatório, divulgado quarta-feira, “são falsos e não correspondem minimamente à realidade” do hospital de Beja, disse José Manuel Mestre, presidente da ULSBA, que gere o hospital.
A ULSBA considera a divulgação dos “dados falsos” uma “afrontosa ofensa” aos seus profissionais e “pondera seriamente o recurso aos meios judiciais comuns e criminais, para a reposição da verdade dos factos”, disse.
José Manuel Mestre falava numa conferência de imprensa no hospital de Beja, para contestar os dados do relatório relativos aos tempos de espera para consultas na unidade em 2010.
Segundo o relatório, em 2010, o hospital de Beja demorou tempos máximos de 1.396, 1.143 e 211 dias para responder, respectivamente, a consultas de oftalmologia, cardiologia e psiquiatria.
A ULSBA contrapõe e refere que os tempos máximos de espera para aquelas consultas foram, respectivamente, de 184, 363 e 357 dias e os médios de 33, 83 e 47 dias.
Segundo o responsável, os dados da ULSBA constam “na base de dados oficial do Ministério da Saúde”, o sistema “Sonho”, que tem “toda a informação administrativa referente a cada doente”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima