Seca complica campanha de rega no Baixo Alentejo

Seca complica campanha

A campanha de rega para 2017 poderá estar em risco em alguns perímetros do Baixo Alentejo, depois do terceiro ano consecutivo de precipitação inferior ao normal, revela ao “CA” a Federação Nacional de Regantes (Fenareg).
De acordo com a Federação, é na bacia hidrográfica do Sado que ocorrem os registos mais críticos, com volumes armazenados úteis nas albufeiras de Odivelas (concelho de Ferreira do Alentejo) e do Roxo (Aljustrel) de 6% e 10%, respectivamente”. Já o perímetro de rega de Campilhas, em parte servido pela barragem do Monte da Rocha (Ourique) também apresenta “limitação hídrica para a campanha de rega deste ano”.
“Estão condicionados 30.000 hectares de culturas regadas que poderão ficar sem água na campanha de rega deste ano”, afiança a Fenareg em comunicado, reconhecendo que a solução “é o reforço de água das albufeiras através do sistema de Alqueva, onde existe disponibilidade hídrica”, o que já sucedeu na anterior campanha.
“No entanto, a viabilidade desse recurso continua por definir. A falta da legislação que estabelece o preço da água a estas situações condiciona a decisão dos agricultores”, continua a Federação, que levou recentemente o tema do preço da água de Alqueva ao Ministério da Agricultura.
“Das nossas intervenções e propostas resultou a promessa do ministro da Agricultura, de baixar o preço da água no primeiro trimestre de 2017, notícia que esperamos seja conhecida em breve e que garanta a viabilidade do reforço às albufeiras dos perímetros confinantes”, conclui a Fenareg.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima