Rede regional de ciência e tecnologia vai “nascer” no Alentejo

Rede regional de ciência e tecnologia vai “nascer” no Alentejo

Uma rede regional de ciência e tecnologia, para fomentar parcerias entre os mundos científico e empresarial, vai “nascer” no Alentejo e Lezíria do Tejo, num investimento de quase 41,8 milhões de euros, co-financiado por fundos comunitários.
O projecto – Programa Estratégico do Sistema Regional de Transferência de Tecnologia (SRTT) – envolve um consórcio de 21 parceiros, liderado pela Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL).
A candidatura ao Programa Operacional do Alentejo, InAlentejo, já foi aprovada e o protocolo de financiamento é assinado dia 26, na Universidade de Évora, numa cerimónia que deverá ser presidida pelo ministro da Economia, Vieira da Silva.
António Costa da Silva, do InAlentejo, explicou hoje à Agência Lusa que, depois, “ficam em condições de ser financiadas as acções que, ao longo do ano, vierem a ser apresentadas pelos parceiros”.
Do investimento global, “cerca de 29,3 milhões de euros” (70 por cento) são suportados pelo InAlentejo, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).
Para o director-geral da ADRAL, Luís Cavaco, este programa estratégico “é muito importante” para o Alentejo porque “vai permitir que se invista muito dinheiro em investigação e desenvolvimento e na transferência de tecnologia”.
“Sem duplicação de esforços e em rede, é uma aposta para que se faça aqui investigação e desenvolvimento, se relacione esse investimento com o tecido empresarial e se consiga captar novos projectos em áreas de ponta”, frisou.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima