Rádios Siresp entregues a bombeiros do distrito de Beja

Rádios Siresp entregues a

Um total de 46 corporações de bombeiros de Beja, Évora e Faro receberam 276 rádios do Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal.
Em comunicado enviado à Agência Lusa, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) refere que após estas entregas, realizadas este domingo, 18, em Beja, numa cerimónia que contou com a presença do secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida, vão estar disponíveis para operação 6.244 rádios do Siresp a nível nacional e no contexto do Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Florestais deste ano.
Esta entrega juntou-se aos 636 rádios do Siresp distribuídos pelos bombeiros do Agrupamento Centro Norte (Aveiro, Coimbra, Guarda e Viseu), aos 726 entregues ao Agrupamento Norte (Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real) e aos 962 que serão distribuídos nas próximas duas sessões aos bombeiros dos restantes distritos, num total de 2.600 novos aparelhos distribuídos este ano.
A exploração do Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (Siresp) pela ANPC e pelos bombeiros, que arrancou em 2007, num projecto-piloto envolvendo as corporações do distrito de Santarém, tem, actualmente, "uma expressão absolutamente nacional", frisa a ANPC.
Segundo a ANPC, o Siresp visa "dotar as forças e serviços de segurança, emergência, protecção civil e socorro de uma rede única de comunicações, a nível nacional".
A existência da rede nacional permite também "satisfazer, de forma eficiente, os requisitos operacionais" daquelas forças e serviços, "garantindo a qualidade, a fiabilidade e a segurança das comunicações" e "a racionalidade dos meios e recursos existentes".
Através da definição de grupos de segurança, o Siresp permite que cada força e serviço de segurança, emergência, protecção civil e socorro utilize o sistema como se fosse uma rede privativa.
O Siresp permite também que, em caso de necessidade de coordenação, todos os grupos que participem na resolução de uma situação de emergência sejam "facilmente colocados em conversação, de acordo com regras pré-definidas ou a serem estabelecidas em cenários específicos".
As corporações de bombeiros, "enquanto primeiro pilar na condução das acções de protecção e socorro", partilham com a ANPC toda a configuração Siresp, estando integrados no mesmo Grupo de Segurança e utilizando os mesmos grupos de conversação.
"Garante-se, desta forma, uma permanente unidade de comando, controlo e de comunicações", frisa a ANPC.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima