PSD critica falta de meios aéreos para combate a incêndios

PSD critica falta

O PSD acusa o Governo de “não colocar à disposição das populações” os meios aéreos necessários de combate a incêndios em quatro distritos, entre os quais o de Beja, tendo já questionado os ministros da Administração Interna e da Defesa Nacional sobre a matéria.
Em comunicado, os sociais-democratas consideram que existe uma “grave violação dos prazos previstos e dos calendários estipulados pelo próprio executivo”, visto “não estarem operacionais diversos meios aéreos, deixando alguns distritos, como por exemplo Braga, Portalegre, Setúbal e Beja sem qualquer meio aéreo de combate aos incêndios””.
Segundo o PSD, “deveriam estar já no terreno três meios aéreos de coordenação” que “também não estão ainda operacionais”, e “faltam pelo menos oito helicópteros face à informação divulgada pelo Ministério da Administração Interna”.
Nas contas dos deputados do PSD, “faltam os helicópteros previstos para Fafe (Braga), Ourique (Beja), Cernache (Coimbra), Portalegre, Grândola (Setúbal), Santa Comba Dão (Viseu), Vila Real e Alfandega da Fé (Bragança)”.
Face a esta situação, os deputados laranja querem saber quando é que estarão “de facto operacionais” os “meios aéreos previstos para o nível II” do dispositivo de combate a incêndios e “quantos meios aéreos de combate aos incêndios, e em que locais, estiveram de facto operacionais entre 15 e 31 de Maio?”.
“Como justifica o Governo mais este atraso na operação de meios aéreos que deixa pelo menos quatro distritos do país sem qualquer apoio aéreo no combate aos incêndios?”, querem saber também os sociais-democratas, perguntando igualmente se o Governo consegue garantir que na seguinte do combate aos incêndios, que se inicia a 1 de Junho, “os meios aéreos previstos no DECIR 2020 vão estar todos no terreno e operacionais”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima