PS do Baixo Alentejo acusa PSD de “reescrever a história”

PS do Baixo Alentejo acusa

O PS do Baixo Alentejo acusa o PSD de estar, através da sua deputada eleita por Beja, Nilza de Sena, a “fazer a caramunha” e a “tentar reescrever a história da sua governação”.
Em causa estão as recentes posições públicas da eleita social-democrata sobre as dificuldades de algumas instituições de solidariedade social (IPSSs) da região, tendo mesmo questionado o ministro do sector, Vieira da Silva, sobre o assunto.
Para os socialistas, entre 2011 e 2015 o Governo PSD/CDS aplicou “um conjunto de cortes cegos nos rendimentos e nas pensões dos portugueses” e obrigou a que muitas IPSSs e autarquias tivessem “de absorver as dificuldades das famílias”, sem que o executivo de Passos Coelho “tivesse esboçado qualquer iniciativa no sentido de ampliar os acordos de colaboração com as instituições ou de aumentar a cobertura da protecção social”.
Além do mais, continua o PS em comunicado enviado ao “CA”, entre 2011 e 2015 houve uma “redução generalizada das prestações sociais destinadas às crianças, aos cidadãos em situação de desemprego e aos idosos”.
Os socialistas criticam igualmente a forma como foi gerido o Fundo de Reestruturação do Sector Solidário, “que na fase final do mandato do anterior Governo PSD/CDS serviu para contratualizar apoios às IPSS em montantes muito superiores às disponibilidades financeiras existentes”.
“A anterior maioria seguiu na Segurança Social, a mesma linha que foi seguida na Agricultura, com os apoios agro-ambientais, ou no IEFP, com os programas de formação e de inserção profissional: prometer mais do que as disponibilidades financeiras existentes. Tudo isto em rota de convergência para as eleições legislativas de 2015. Quem vier a seguir que apague a luz”, acusam.
Tudo isto leva o PS do Baixo Alentejo a acusar o PSD de fazer, através da sua eleita por Beja, “a caramunha, com posições públicas de preocupação com as IPSSs que mais parecem lágrimas de crocodilo”.
“O PSD pode tentar reescrever a história da sua governação, mas não consegue alterar a realidade que as pessoas e as instituições viveram e vivem”, criticam os socialistas, sublinhando que agora que o actual Governo do PS “está a repor rendimentos” e a “recuperar o respeito pela autonomia do Poder Local, o PSD despertou para a vida”.
“Mais vale tarde do que nunca, mas, enquanto o governo PSD/CDS assobiava para o ar ou prometia mais do que podia, as autarquias locais e as IPSSs nunca deixaram de estar na primeira linha das respostas às pessoas, do combate à desertificação e ao envelhecimento da população e da defesa do mundo rural”, conclui o comunicado do PS.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

DECO promove atendimento em Odemira

Esclarecer dúvidas sobre os direitos do consumidor em diversas áreas é o grande objetivo das sessões gratuitas de atendimento que a DECO – Associação Portuguesa

Role para cima