PS critica ida de mais de 600 professores para o desemprego no distrito de Beja

PS critica ida de mais de 600 professores para o desemprego no distrito de Beja

O PS do Baixo Alentejo lamenta que as políticas de educação do Governo PSD/ CDS-PP tenham conduzido mais de 600 professores do distrito de Beja para o desemprego.
A posição dos socialistas surge depois da reunião mantida esta segunda-feira, 17, de manhã entre os responsáveis pela Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS e pelo Sindicato Democrático dos Professores do Sul.
"É preocupante e retrógada a decisão de alargar o número de alunos por turma, conduzindo à situação de desemprego de dezenas de milhares de professores a nível nacional e mais de 600 no distrito de Beja, ao desprestigio da sua função e à má qualidade do ensino", vinca o presidente da FBA, Pedro do Carmo, num comunicado em que argumenta também que a medida, que assenta "numa visão meramente economicista que não salvaguarda os interesses públicos e constitucionais de acesso a uma educação de qualidade", apenas vai afectar "o funcionamento do sistema de ensino" e prejudicar "os alunos".
Bastante críticos, os socialistas alegam igualmente que a política de educação do Governo, "tal como noutros sectores da governação, é de total desresponsabilização da realidade social e da importância de se promoverem, através da educação, medidas que estimulem o conhecimento, a competitividade e a qualificação dos cidadãos".
Nesse sentido, o PS do Baixo Alentejo considera ser "inconcebível e inaceitável que o rumo seguido por este Governo seja o de desprestigiar o ensino em Portugal, tratando a educação como uma despesa em vez de um investimento, no que resultará uma sociedade distinguida entre pobres e ricos, qualificados e não qualificados".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima