Professores entregam providência cautelar no Tribunal de Beja para travar cortes salariais

Professores entregam providência cautelar no Tribunal de Beja para travar cortes salariais

Professores e inspectores da educação são alguns dos profissionais da Função Pública que entregam esta quarta-feira, 5, providências cautelares para impedir os cortes dos salários anunciados pelos Governo.
A acção está a cargo de cada um dos sindicatos que representam estes profissionais, assim como de outros da administração pública que escolheram esta quarta-feira para avançar com as providências cautelares nos tribunais administrativos.
No sector da Educação, por exemplo, os sindicatos da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) vão interpor providências cautelares antecipatórias para evitar que se concretizem os cortes salariais, até que haja “uma decisão sobre a sua legitimidade, legalidade e constitucionalidade”.
Segundo a estrutura, serão entregues providências cautelares entre as 10h00 e as 11h30 nos tribunais administrativos e fiscais do Porto, Coimbra, Lisboa, Beja, Ponta Delgada e Funchal.
Recorde-se que os cortes salariais em causa vão de 3,5 por cento a 10 cento do salário e aplicam-se a quem ganhe mais de 1.500 euros por mês na administração pública e no sector empresarial do Estado.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima