Proder apoia projectos na área do património em Viana do Alentejo

Proder apoia projectos na área

A valorização do património material e imaterial do concelho de Viana do Alentejo é o objectivo de dois projectos do Município, financiados por fundos comunitários, através do Programa de Desenvolvimento Rural (Proder).
Segundo a Câmara Municipal, o Proder vai financiar a 60% as iniciativas “Valorização do Património no Concelho de Viana do Alentejo” e “Valorização das Artes Tradicionais no Concelho de Viana do Alentejo”, num investimento global na ordem dos 70 mil euros.
O presidente do Município, Bernardino Bengalinha Pinto, explica à Agência Lusa que a primeira candidatura envolve a elaboração, edição e publicação da Carta Patrimonial, isto é, da Carta Arqueológica.
“Pretendemos identificar e fazer o levantamento de todo o património existente”, não só para “contribuir para a valorização e promoção turística do território”, como também para orientar “intervenções e estratégias futuras”, diz.
Esta acção, que deverá ainda originar uma exposição, vai possibilitar “o conhecimento de todos os vestígios existentes e do seu estado de conservação”, refere a autarquia.
Desta forma, frisa, será possível estabelecer prioridades no que respeita às “necessidades de intervenção com vista à sua preservação e recuperação”.
Quanto à outra candidatura, acrescenta o autarca, o objectivo é valorizar a arte chocalheira de Alcáçovas e a olaria do concelho, as principais actividades tradicionais locais.
O projecto vai apoiar a publicação de duas obras: Os Chocalhos e a sua relevância na Vila de Alcáçovas, de André Correia, e Verde Barro: Olaria de Viana do Alentejo, de Luís Banha.
“Temos alguma insuficiência de material escrito e documental sobre vários aspectos do concelho e procuramos sempre apoiar este tipo de iniciativas”, pelo que, agora, “aproveitámos o Proder para este financiamento”, justifica o autarca.
Com a publicação das obras, a Câmara quer “identificar a história, os processos, os testemunhos e as colecções, mantendo viva a memória destas actividades e permitindo a sua promoção”.
Esta candidatura integra ainda a concepção e edição de folhetos sobre os ofícios tradicionais, de forma a consciencializar as populações para a importância destas artes na história.
“Estes dois projectos, no fundo, estão interligados porque estamos a investir fortemente no património, um mais edificado, outro mais imaterial, que constitui uma das mais-valias do concelho”, realça Bengalinha Pinto.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima