Porto de Sines celebra 36 anos

Porto de Sines

O primeiro presidente do Gabinete da Área de Sines (GAS), criado em 1971 e que deu origem ao complexo industrial e portuário da cidade do Litoral Alentejano, é homenageado este sábado, 14, no âmbito do 36º aniversário do porto local.
António Martins liderou o grupo de trabalho que apontou Sines como o local indicado, pelas suas características naturais, para a implantação de um porto de águas profundas, tendo depois dirigido o GAS desde a sua constituição até 1975.
A infra-estrutura portuária começou a ser construída em 1973 e entrou em funcionamento cinco anos mais tarde, tendo a Administração do Porto de Sines (APS) sido criada a 14 de Dezembro de 1977, absorvendo as competências de gestão do GAS.
O projecto para Sines previa a construção de um porto para navios de grandes dimensões, um pólo industrial e uma nova cidade, que viria a ser Vila Nova de Santo André, no concelho vizinho de Santiago do Cacém.
O GAS acabou por ser extinto em 1989, após a conclusão das infra-estruturas.
O primeiro terminal do porto de Sines a entrar em funcionamento foi o de granéis líquidos (para crude, refinados e gases liquefeitos, entre outros produtos), seguindo-se depois, gradualmente, o petroquímico, o multiporpose (para carga diversa, como o carvão que é utilizado nas centrais termo-eléctricas da EDP) e o de gás natural.
O mais recente é o terminal de contentores (Terminal XXI), que iniciou actividade em 2004, concessionado à empresa PSA Sines, filial da Port Singapore Authority.
O porto de Sines tem vindo sucessivamente a bater recordes de movimentação de carga, tendo-se posicionado, em 2012, como o 24º maior porto da Europa.
Actualmente, está em estudo pelo Governo a aprovação da ampliação do cais do Terminal XXI para 1.230 metros, com capacidade para dois milhões de TEU (unidade equivalente a um contentor de 20 pés), que, a concretizar-se, poderá envolver um investimento global a rondar os 150 milhões de euros.
Está também em curso a integração dos portos algarvios de Faro e Portimão na APS, o que representa para esta administração a gestão de um novo negócio – o segmento dos navios de cruzeiro.
A APS celebra 36 anos este sábado, com uma cerimónia de homenagem a António Martins, que inclui o descerramento de uma placa evocativa no Molhe Oeste da infra-estrutura.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima