Polis Litoral Sudoeste continua até final de 2016

Polis Litoral Sudoeste

O programa Polis Litoral Sudoeste só vai terminar formalmente no final de 2016, ou seja, um ano depois da primeira data prevista pelo accionista maioritário Estado.
O prolongamento da sociedade por mais 365 dias foi aprovado em Assembleia Geral por unanimidade, numa decisão que foi de encontro às pretensões dos municípios de Odemira, Sines, Aljezur e Vila do Bispo.
“Esta decisão vai-nos permitir concluir as intervenções que estão em curso com tranquilidade e, inclusivamente, candidatar a este novo quadro comunitário [Portugal 2020] algumas das obras que estavam a desenvolver-se com o capital social da sociedade”, revela ao “CA” José Alberto Guerreiro, presidente da Câmara de Odemira e vogal do conselho de administração da Polis Litoral Sudoeste – Sociedade para a Requalificação e Valorização do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, S.A..
O autarca odemirense espera que a par desta decisão, o Governo permita que neste ano de 2016 o Polis Litoral Sudoeste possa avançar com mais algumas intervenções no território, “quatro ou cinco delas essenciais para Odemira”.
“Falo do desassoreamento do rio Mira em Vila Nova de Milfontes, cujo projecto já nos custou cerca de 180 mil euros e é urgente fazê-lo”, revela José Alberto Guerreiro, adiantando que a intervenção está estimada em 1,5 milhões de euros.
Outro projecto que pode receber “luz verde” é a requalificação da falésia da Zambujeira do Mar, na zona da igreja, uma obra que poderá chegar ao custo de um milhão de euros.
“São duas obras absolutamente essenciais e se não se fizerem agora dificilmente se farão nos próximos tempos. Estamos apostados em que isso aconteça”, acrescenta José Alberto Guerreiro.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima