Pedro do Carmo: "Câmara de Ourique reduz dívida em um milhão de euros por ano"

Pedro do Carmo: "Câmara de Ourique reduz dívida em um milhão de euros por ano"

Cortes no financiamento da autarquia estão a criar mais dificuldades mas a Câmara de Ourique está a manter a linha de rumo dos últimos sete anos: o corte na dívida atinge cerca de um milhão de euros por ano – a garantia é dada pelo presidente da edilidade, o socialista Pedro do Carmo, em entrevista ao "CA" no âmbito do suplemento especial dedicado ao concelho.

<b>Em que medida o actual contexto económico do país afectou a gestão municipal?</b>
Afecta em muito, todos os dias e em todas as decisões que temos que tomar. Se é conhecida por todos a situação financeira do Município em 2005, que ainda estamos a pagar, maiores são as dificuldades actuais com mais cortes nas receitas, com maiores obrigações e cada vez mais solicitação por parte dos cidadãos carenciados. E as novas imposições legais, como a Lei dos Compromissos, vêm agravar ainda mais a nossa acção e alguma margem que tínhamos para ir dando respostas às exigências e às ambições do Município.

<b>Foram retardadas obras, por exemplo?</b>
Sim, claro. Muitas das obras e planos que tínhamos foram suspensos por indefinições nos fundos comunitários e por impossibilidade financeira. Por exemplo, a construção das piscinas descobertas e de dois campos de ténis e zonas de apoio vão ter de aguardar por melhores oportunidades. A nossa prioridade de projectos e de obras está limitada às oportunidades dos fundos comunitários. De outra forma é impossível a Câmara de Ourique promover projectos e obras por sua conta. Perdemos mais de um milhão de euros em ano e meio… é muito dinheiro para uma autarquia como a nossa, são mais de dois mil euros por dia!

<b>Foi necessário estabelecer prioridades para conseguir acudir ao pagamento das facturas?</b>
A nossa gestão é rigorosa. Estamos a cumprir os objectivos de redução da divida em cerca de um milhão de euros por ano, e a cumprir os acordos de pagamento com fornecedores. Para que tudo resulte, na limitação da nossa tesouraria, priorizamos pagamentos e procuramos cumprir com todos os fornecedores.

<b>LEIA A ENTREVISTA DE PEDRO DO CARMO NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO DE 10 DE AGOSTO DO "CORREIO ALENTEJO" JÁ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima