PCP responde. E o “CA” também

PCP responde.

O “CA” recebeu da Direcção de Beja do PCP uma carta sobre a notícia publicada na edição de 6 de Janeiro, sob o título “PCP já escolheu vários candidatos”. A carta expressa o seguinte:

1. O Correio Alentejo (CA) solicitou à Direcção da Organização Regional de Beja (DORBE) do Partido Comunista Português respostas a três questões sobre as próximas eleições autárquicas. O Secretariado da DORBE enviou as respostas a 4 de Janeiro, por e-mail, tal como fora solicitado.

2. Sobre o assunto, o CA publicou a 6 de Janeiro, tanto na edição on-line como na edição em papel, um artigo que dá todo o crédito a “informações” de “várias fontes” não identificadas e ignora ou desvaloriza as respostas enviadas pelo PCP, manipulando-as. No essencial, o texto “noticia” que a CDU “já definiu” e até “já escolheu” “vários candidatos para as autárquicas” de 2017, no distrito de Beja – o que não é verdade e contraria as respostas enviadas por escrito pelo PCP.

3. Naturalmente, o CA, cuja linha editorial é bem conhecida, desde há muito, é livre de publicar o que entender, mesmo confundindo deliberadamente matéria noticiosa com opinião, realidade com desejos. Mas é deontologicamente inaceitável que peça dados sobre as candidaturas autárquicas da CDU, obtenha respostas precisas e, baseando-se em “fontes” anónimas, escreva o contrário da informação obtida!

4. Para esclarecimento dos leitores, eis as questões colocadas pelo CA e as respostas do PCP:
“1 – Segundo apurou o CA, a CDU escolheu Isabel Sabino e Helena D’Aguilar para serem as candidatas às câmaras de Barrancos e Vidigueira, respectivamente. Confirma estas escolhas? Resposta: Os organismos do PCP e as estruturas da CDU, em auscultações, discussão e decisões com os militantes e activistas da CDU, desenvolvem um processo em que serão tomadas decisões a seu tempo.
2 – De acordo com algumas fontes, José Maria Pós-de-Mina voltará a ser candidato da CDU em Moura, enquanto em Mértola e Aljustrel vai apostar em Miguel Bento e Manuel Nobre, respectivamente. Pode confirmar estas informações? Resposta: Repetimos que, no seguimento da resposta à pergunta anterior, essas decisões serão tomadas no seu tempo próprio.
3 – Qual o calendário definido pela CDU para anunciar os seus cabeças de lista às 14 câmaras municipais do distrito de Beja? Resposta: Sendo as eleições para as autarquias locais processos muito envolventes, que o PCP e a CDU estão naturalmente a acompanhar, desenvolvemos o mais amplo debate possível para se encontrarem as soluções que, em cada concelho, e de acordo com as suas particularidades e circunstâncias, melhor cumprem os objectivos de reforço da influência política e eleitoral da CDU. Estamos, de forma tranquila, a preparar essas decisões, designadamente dos cabeças de listas às câmaras municipais, que serão anunciados nos próximos meses.”

Assim, confiando que o espírito democrático e plural dessa publicação dispensa a invocação do direito de resposta que nos assiste, solicitamos a publicação deste esclarecimento, na íntegra, tanto na edição on-line como na próxima edição em papel do CA, com destaque semelhante ao do artigo a que responde.

Com os melhores cumprimentos,
Pelo Secretariado da DORBE do PCP,
Miguel Madeira

Nota da Redacção
Agradecemos muito que o PCP reconheça “o espírito democrático e plural” do “CA”. De facto, há 10 anos que não fazemos as coisas de outra maneira: jornalismo com liberdade e pluralismo!
Seja como for, é muito abusivo e de uma grande falta de respeito que o PCP venha afirmar que este jornal “ignora ou desvaloriza as respostas enviadas pelo PCP, manipulando-as”. Isso é falso e qualquer dos nossos leitores, incluindo a Direcção do PCP, verifica isso com a maior facilidade. As respostas estão incluídas totalmente na notícia e sustentam o contraditório que as mais básicas regras do jornalismo determinam.
O PCP diz que dá “respostas precisas” mas, verdade seja dita, não dá uma única resposta concreta a perguntas muito concretas. Está no seu direito! Contudo, o “CA” tem informações fiáveis (de “fontes anónimas”, como a generalidade das fontes nos jornais democráticos do mundo inteiro!) que lhe permitiram avançar com a notícia nos termos em que avançou. Previamente, como mandam as regras jornalísticas, questionou o PCP sobre essas informações. O PCP não confirmou nada! Será que, desse modo, julgava possível impedir a notícia? Será que, desse modo, o PCP julgava possível que a notícia fosse apenas baseada nas respostas que deu? Se esperava… apenas lamentamos, porque o jornalismo não é nada disso!
E por fim… dois desafios aos nossos leitores: leiam as respostas do PCP e comparem-nas com o teor da notícia; e ouçam as declarações que José Maria Pós-de-Mina fez na Rádio Castrense, admitindo que pode ser candidato em Moura! Assim perceberão como esta carta do PCP poderia ter sido evitada.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima