PCP quer obras no IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola

PCP quer obras no IC1

Um projecto de resolução do PCP, discutido esta quarta-feira, 9, no Parlamento, recomenda ao Governo que promova as medidas necessárias para garantir a beneficiação do troço do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola com a "máxima rapidez".
Através do projecto, ao qual a Agência Lusa teve acesso, o PCP pretende que a beneficiação do troço "seja realizada com a máxima rapidez, promovendo as condições de circulação em plena segurança de forma consentânea com o nível de serviço exigível a um eixo viário fundamental e salvaguardando o interesse público, no plano judicial se necessário".
Segundo o projecto, assinado por 12 deputados do PCP, as populações do Litoral Alentejano, em particular dos concelhos de Alcácer do Sal e Grândola, "têm vindo a sofrer cada vez mais com as inaceitáveis e revoltantes condições de degradação e insegurança" do Itinerário Complementar (IC) 1".
No troço do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola, onde a sinistralidade atingiu "níveis alarmantes" nos últimos anos, a sinalização horizontal "praticamente não existe" e o pavimento está "num estado de deterioração indescritível, com problemas gravíssimos", e, por isso, "os acidentes sucedem-se", lê-se no projecto.
Segundo os deputados, a situação no troço "não se limita a afectar a ligação entre os concelhos de Alcácer do Sal e Grândola, o que já seria grave e exigiria uma resposta urgente", porque o IC1 "é uma das principais ligações rodoviárias do país".
"Embora IC1 signifique Itinerário Complementar n.º 1, este eixo viário só é complementar em termos formais", porque "representa a única alternativa possível, devido aos custos incomportáveis e exorbitantes das portagens da A2", para "milhares" de automobilistas, famílias, empresas e motoristas profissionais, com destaque para o transporte rodoviário de combustíveis e outras cargas proveniente do complexo industrial de Sines.
Os deputados do PCP referem que o anterior Governo PS, liderado por José Sócrates, entregou a recuperação, a conservação e a exploração do IC1 entre Grândola e Marateca "aos interesses privados", ao incluir a via no "negócio" da Parceria Público-privada (PPP) da subconcessão do Baixo Alentejo.
Entretanto, acusam os deputados, o actual Governo PSD/CDS-PP "veio agravar ainda mais a situação, com a continuidade da PPP num quadro de escandalosa paralisação de todas as obras, desde o IP8 ao IP2, passando pela recuperação do IC1, no quadro de uma ´renegociação`, que se arrasta há anos e ainda não terminou".
A Estradas de Portugal (EP), em informações prestadas à Lusa, em Junho, informou que irá avaliar o tipo de intervenção de reabilitação a executar no IC1 entre Grândola e Marateca, o qual inclui o troço entre Alcácer do Sal e Grândola, após a reversão da via para a rede de estradas da empresa.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima