PCP de Castro Verde contra fecho de serviços

PCP de Castro Verde

O PCP critica o eventual fecho das escolas de Casével e Entradas e da Repartição de Finanças de Castro Verde, assim como a perda de valências do Tribunal de Ourique.
Em comunicado, a Comissão Concelhia de Castro Verde dos comunistas sublinha que o Governo do PSD/ CDS, “com a conivência do Presidente da República, e ao abrigo do ‘pacto de agressão’, assinado por PSD, CDS e PS com a ‘troika’ estrangeira, tem vindo a intensificar o ataque aos serviços públicos” no concelho, medidas que, a concretizar-se, “vão atingir profundamente os trabalhadores e população”.
Em causa está, segundo o PCP, o eventual encerramento da Repartição de Finanças e das escolas do primeiro ciclo do ensino básico de Casével e de Entradas, assim como a retirada de valências ao Tribunal de Ourique, cuja comarca abrange o concelho.
“É preciso pôr termo a este Governo e às suas políticas que, ao arrepio da Constituição da República Portuguesa, contra os interesses do povo e dos trabalhadores, compromete o futuro do nosso concelho e do país”, argumentam os comunistas de Castro Verde, exortando “o povo e os trabalhadores” a intensificarem “a luta em defesa dos serviços públicos, pelo acesso à saúde, à justiça e em defesa da escola pública”.
A Concelhia de Castro Verde do PCP apela ainda à população que participe na manifestação nacional convocada pela CGTP para o dia 21 de Junho em Lisboa.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima