Paulo Arsénio quer PS como "parceiro da sociedade"

Paulo Arsénio quer PS

É oficial a candidatura de Paulo Arsénio à presidência da Comissão Política Concelhia de Beja do PS nas eleições internas agendadas para o próximo dia 6 de Dezembro.
O anúncio da candidatura do actual eleito na Assembleia Municipal de Beja foi feito esta quarta-feira, 6 de Novembro, depois do “CA” ter avançado com a notícia no passado dia 30 de Outubro.
“Tendo sido alvo de múltiplos apelos e abordagens, de grande número de pessoas do PS em Beja, não pude ficar indiferente ao momento e aos desafios que se colocam no futuro próximo, não só ao PS enquanto força política, mas também ao concelho, à região e ao país”, revela ao “CA” o próprio Paulo Arsénio.
O agora candidato irá a votos com a moção “Construir Rotas de Futuro”, ainda em fase de elaboração e que se baseará em cinco “ideias-chave” – “participação, proximidade, solidariedade, diálogo e intervenção”.
“Pretende-se construir um PS que, mais do que um mero instrumento político, seja também um parceiro da sociedade onde se insere, e que exerça a sua acção de forma pura, sem calculismos de qualquer natureza. Que se aproxime das pessoas, militantes, simpatizantes e demais cidadãos, ouvindo e agindo em consonância com a sua história, a sua identidade ideológica e os seus princípios éticos republicanos”, acrescenta Paulo Arsénio.
Militante 23.289 do PS, Paulo Arsénio é, para já, o único candidato à Concelhia socialista de Beja, sendo certo que o actual presidente, António Mourão, não irá recandidatar-se ao cargo.

Mais candidatos
No resto do distrito, além de Paulo Arsénio em Beja, estão também confirmadas as candidaturas de Nuno Pancada e José Guerra em Ferreira do Alentejo, onde Aníbal Reis Costa não pode ser candidato por impedimento estatutário.
Nuno Pancada é o actual vice-presidente da autarquia ferreirense e garante estar “motivado” para continuar o trabalho “que tem dado grandes vitórias ao PS no concelho de Ferreira do Alentejo”.
Já José Guerra, antigo director da Segurança Social de Beja, ainda não fez quaisquer declarações públicas sobre a sua candidatura, confirmando apenas que vai avançar para votos.
Relativamente às restantes concelhias, são praticamente certas as recandidaturas de Nelson Brito em Aljustrel e de Marcelo Guerreiro em Ourique. E em Odemira, onde Ricardo Cardoso também está impedido de candidatar-se, vai avançar Hélder Guerreiro, actual vice-presidente da Câmara local.
Recorde-se que, à luz dos novos estatutos do PS, os militantes elegerão pela primeira vez uma liderança para um mandato de quatro anos.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima