Patinagem é a paixão de Cristina Rakasi

Patinagem é a paixão

Cristina Rakasi tem apenas 10 anos e um sorriso de princesa, mas em pista, de patins calçados, é uma verdadeira rainha, com gestos graciosos e muita elegância.
Há quase seis anos que entrou para a secção de patinagem artística do FC Castrense e hoje é uma das maiores esperanças da modalidade na região e no país. O seu sonho é seguir a paixão. A sua paixão é patinar!
“É muito bom patinar… É a minha vida, a minha paixão”, conta ao “CA” um pouco envergonhada. Ao lado, os pais Janos e Cláudia sorriem.
Filha de um casal de romenos que já está no Baixo Alentejo há 13 anos, Cristina Rakasi já nasceu portuguesa. E foi apenas com cinco anos que aceitou o convite de António dos Anjos (histórico dirigente do FC Castrense e do desporto patinado na região) para experimentar a patinagem artística. Foi amor ao primeiro treino.
“Achei engraçado, quis experimentar, gostei e nunca mais deixei”, revela Cristina, que desde então se tem dedicado de alma e coração à modalidade.
“Treino uma hora e meia à segunda-feira, uma hora e meia também à quarta-feira, uma hora na quinta-feira e aos sábados uma hora e meia ou duas horas”, adianta.
A modalidade exige muitos sacrifícios a Cristina. Mesmo assim, a jovem patinadora não descura os estudos.
“Primeiro tenho de estudar e só depois é que a minha mãe me deixa vir aos treinos. Primeiro os estudos, depois a patinagem”, diz.
Este método de trabalho tem funcionado e os resultados estão à vista.
Em 2013 Cristina foi campeã regional e sétima classificada nos campeonatos nacionais de patinagem livre no escalão de Benjamins, além de obter a quinta posição na Taça de Portugal em Infantis.
No ano de 2014 chegou ao quarto lugar nos nacionais em Infantis e em 2015, também em Infantis, voltou a ser campeã regional, foi segunda na Taça de Portugal e terceira no campeonato nacional.
A “cereja” sobre o topo do bolo chegou no Verão, quando no final de Julho foi com a Selecção Nacional a França, participar na Taça da Europa, de onde regressou com um honroso sexto lugar entre as melhores patinadoras europeias.
“Foi uma boa experiência, diferente de competir em Portugal. Fiquei um bocadinho nervosa, por ser a primeira vez, mas é bom saber que cheguei lá, que me esforcei e que dei o meu melhor”, conta Cristina.
Uma experiência que deu ainda mais força à ambição da jovem castrense em ser patinadora profissional.
“Sei que é muito difícil, mas vou lutar por isso”, promete.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima