Pagamentos em atraso nos lares e creches de Portalegre

Pagamentos em atraso nos

As misericórdias da zona de Portalegre estão a registar um aumento de casos de falta de pagamento das mensalidades em lares e creches por parte dos utentes, alerta um responsável regional das instituições.
“A nível de infância, temos notado uma maior dificuldade nas comparticipações por parte dos pais", diz à Agência Lusa o secretário regional de Portalegre da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Mário Cruz, salientando que a situação é idêntica quanto às famílias de idosos que vivem em lares.
Assinalando que as misericórdias "vivem com muitas dificuldades", Mário Cruz salienta que as instituições estão a “aguentar” a situação, rejeitando “mandar para casa” os idosos.
De acordo com o responsável regional da UMP, o desemprego constitui uma das “principais causas” que levam as famílias a ter dificuldades em cumprir com as suas obrigações.
“As pessoas têm cada vez menos hipóteses de comparticipar, umas porque estão desempregadas, outras por outros motivos”, diz.
Mário Cruz relata que continuam a existir casos de famílias na zona de Portalegre que retiram os idosos dos lares porque a reforma do utente “lhes faz falta” para o orçamento mensal.
Embora assegure que “não há, por enquanto", nenhuma misericórdia no distrito de Portalegre em situação de ruptura, o responsável diz não saber até que ponto as instituições vão “aguentar” a situação.
“As nossas receitas estão a diminuir e as despesas a aumentar. Não sei como é que nós vamos aguentar este barco”, afirma.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima