Organização do "KaZantip" cancela festival nas margens do Alqueva

Organização do "KaZantip" cancela festival nas margens do Alqueva

A primeira edição portuguesa do maior festival de música do mundo, o KaZantip, que arrancou na sexta-feira, 20, nas margens do Alqueva, foi esta segunda-feira, 23, encerrada, mas fonte da organização garantiu que a decisão “não é definitiva”.
Na página oficial do festival na Internet, em <i>kazantip.com</i>, pode ler-se que o evento foi obrigado a encerrar porque ficou impossibilitado de vender bilhetes e comida, devido a um erro no licenciamento.
O KaZantip, vulgarmente conhecido como o “festival das orgias”, já passou por vários países e, segundo a organização, o primeiro evento realizou-se na Ucrânia e, em 2002, foi obrigado a encerrar pelo governo ucraniano.
A primeira edição portuguesa do festival era para decorrer sem parar até 26 de Agosto nas margens do Alqueva, no concelho de Moura, com a presença de mais de 1.200 DJ’s e muitos desportos radicais.
Contactada pela Agência Lusa, a fonte da organização confirmou que o KaZantip pode vir a ser cancelado, devido a uma “questão burocrática” relacionada com uma licença para a restauração do evento, à qual a organização é “completamente alheia”.
“O encerramento não é definitivo. Esperamos que o problema se resolva esta terça-feira, 24, e que o festival possa continuar”, disse a fonte.
Também o oficial de relações públicas do Comando Territorial de Beja da GNR, capitão Eduardo Lérias, adiantou à Lusa que a empresa promotora do KaZantip comunicou à Guarda que iriam proceder ao “encerramento do festival”.
“A GNR está só a garantir a segurança no local para evitar que haja alterações de ordem com fornecedores ou espectadores”, acrescentou.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima