Observatório avalia situação social das crianças de Évora

Observatório avalia situação

A situação social das crianças e jovens do concelho de Évora vai ser avaliada por um observatório, o primeiro do género no país, para permitir "diminuir o risco e aumentar a protecção" dos casos identificados.
O observatório vai "avaliar, de forma científica, a realidade das crianças" de Évora, como "os fatores de proteção e de risco", explica o presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR), Armando Leandro.
De acordo com o responsável, após o diagnóstico feito pelo Sistema de Observação de Crianças e Jovens do Concelho de Évora, as entidades envolvidas reencaminham os casos identificados para projectos que permitam "diminuir o risco e aumentar a protecção".
Armando Leandro falava aos jornalistas na Universidade de Évora, à margem da apresentação do observatório, que está integrado no Plano Local de Promoção e Protecção de Crianças e Jovens da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Évora.
O presidente da CNPCJR indica que o observatório de Évora "está numa fase adiantada" e que 81 comissões de protecção de crianças e jovens de todo o país já aderiram ao projecto, mas estão "em fases diferentes".
"Se assim acontecer na maior parte das comissões, poderemos ter um mapa não só local, mas também regional e nacional da situação das crianças", assinala.
De acordo com o responsável, em Évora já foi feito "o diagnóstico da situação das crianças no concelho" e escolhidas as "matérias que envolvem maior risco e perigo para as crianças".
O presidente da CPCJ de Évora, Alexandre Varela, realça que o observatório, que tem a colaboração da Universidade de Évora, vai "estudar sobretudo as situações de risco que estão a montante dos processos de promoção e protecção, que correm nos tribunais e nas comissões".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima