Obras no Liceu de Beja revelam necrópole do período islâmico

Obras no Liceu de Beja revelam necrópole do período islâmico

Uma das maiores necrópoles do período Islâmico em Portugal foi descoberta em Beja, nas obras de modernização da Escola Secundária Diogo de Gouveia, tendo já sido encontrados 250 esqueletos, revelou a coordenadora dos trabalhos arqueológicos.
“Esta necrópole é, certamente, uma das maiores encontradas no país”, garantiu à Agência Lusa Raquel Santos, que coordena a equipa da Neoépica, empresa que está a efectuar a arqueologia preventiva associada às obras.
Os trabalhos decorrem desde Novembro de 2009 e a necrópole tem estado a ser escavada pelos arqueólogos, no âmbito das obras de modernização da Escola Secundária Diogo de Gouveia (Liceu de Beja), a cargo da Parque Escolar.
Até ao momento, disse Raquel Santos, os arqueólogos já encontraram enterramentos correspondentes a “250 indivíduos, de ambos os sexos, maioritariamente adultos, mas também crianças e jovens”, na sua maior parte do período Islâmico, "em que os indivíduos eram enterrados de lado, mas há alguns enterramentos cristãos, em que os mortos foram deitados de costas”.
“Os 250 descobertos até agora deverão ser o nosso número final e vão ficar guardados em depósito”, faltando definir se será junto do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR) ou do Município de Beja, disse.
Já o local onde se encontra a necrópole islâmica será “novamente tapado”, para que as obras possam avançar, revelou também Raquel Santos, referindo que, além destes vestígios, foram encontradas mais estruturas arqueológicas no espaço da escola.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima