Novas descobertas no povoado do Outeiro do Circo

Novas descobertas no

O povoado do Outeiro do Circo (Beja), um dos mais importantes da Idade do Bronze Final, terá sido também ocupado na Idade do Ferro, indicam descobertas recentes.
As descobertas decorreram durante a campanha de escavações deste ano no povoado, que arrancou no passado dia 4 de Agosto e terminou na passada semana, no âmbito de um novo projecto de investigação arqueológica para "desvendar" a área habitacional do sítio e que irá decorrer até 2017 com campanhas todos os verões.
O "maior ponto de interesse" da campanha deste ano, numa zona interior e habitacional do povoado, foi a descoberta de "materiais de períodos que ainda não estavam documentados no Outeiro do Circo", sobretudo da Idade do Ferro, disse à Agência Lusa o director científico das escavações, o arqueólogo Miguel Serra.
"Tínhamos indícios de uma ocupação do Outeiro do Circo na Idade do Bronze Final e, nesta campanha, recolhemos muitos materiais que parecem já enquadrar-se no período posterior", ou seja, da Idade do Ferro, indicou.
O espólio de materiais recolhido terá de ser "estudado pacientemente", mas "parece indicar que ainda se terá mantido alguma comunidade a habitar ou, pelo menos, a usar o Outeiro do Circo após a Idade do Bronze Final, que terá sido o grande momento de ocupação do povoado", explicou.
Nas próximas campanhas, será necessário "alargar muito mais as áreas de escavação para tentar perceber melhor como é que se processou esta ocupação, se terá sido contínua e se foi a mesma comunidade que continuou a ocupar em várias épocas o Outeiro do Circo ou houve um abandono e depois uma ocupação mais reduzida", disse.
Além de materiais da Idade do Ferro, os arqueólogos descobriram "materiais muito residuais romanos e medievais", que indicam que o sítio foi "frequentado" nos períodos Romano e da Idade Média.
Segundo Miguel Serra, a Idade do Ferro "é um período que está documentado em zonas muito próximas do Outeiro do Circo, onde existem necrópoles e povoados daquele período, mas que, até ao momento, não estavam relacionados" com o povoado da Idade do Bronze Final.
Os materiais encontrados "levantam algumas questões que alguns autores já colocavam sobre a possibilidade de o Outeiro do Circo poder ter tido ocupações posteriores à Idade do Bronze Final, até porque está rodeado de sítios da Idade do Ferro, mas até ao momento ainda não se tinham encontrado vestígios desta época" no povoado, frisou.
Durante a campanha deste ano, os arqueólogos também descobriram um grande espólio de artefactos cerâmicos: “Revela mesmo estarmos no interior da principal área de densidade ocupacional do Outeiro do Circo", disse o arqueólogo.
Através do estudo do espólio, frisou, será possível "documentar um pouco melhor o quotidiano e os modos de vida das comunidades que habitaram o Outeiro do Circo há 3.000 anos durante a Idade do Bronze".
O projecto "O Povoado do Bronze Final do Outeiro do Circo (Beja)", no âmbito dos Projectos de Investigação Plurianuais de Arqueologia, é financiado pela Câmara de Beja.
O Outeiro do Circo, situado nas zonas de Beringel e Mombeja, no concelho de Beja, terá sido o grande centro de poder regional antes da cidade de Beja, que se desenvolveu a partir da Idade do Ferro, no século VII a.C.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima