Nova toponímia na cidade de Beja gera muitas críticas

Nova toponímia na cidade

A CDU acusa o executivo do PS na Câmara de Beja de fazer um “ajuste de contas com o 25 de Abril” ao querer atribuir a uma rua o nome do último autarca do Estado Novo.
Em comunicado citado pela Agência Lusa, a CDU considera que Jorge Pulido Valente e a maioria do PS da Câmara de Beja, ao quererem atribuir o nome de José Dias Cara Nova, o último presidente da autarquia do Estado Novo a uma rua, “acompanham, no concelho, indo até mais longe, o que de pior está a ser feito como ajuste de contas com o 25 de Abril e de branqueamento do fascismo pelo Governo PSD/ CDS-PP no país”.
Segundo os vereadores da CDU, trata-se de uma "atitude completamente desajustada", "sobretudo" da parte de Jorge Pulido Valente, o qual, lembram, quando foi eleito, em Outubro de 2009, acabando com o domínio comunista de 33 anos na autarquia, disse que "tinha chegado o 25 de Abril a Beja".
Na última reunião camarária, a maioria PS aprovou, com os votos contra dos vereadores da CDU, a proposta da comissão municipal de toponímia, da qual Pulido Valente faz parte, de atribuição a uma rua da cidade do nome de José Dias Cara Nova, último presidente da Câmara de Beja no regime fascista do Estado Novo.
"Entre outros aspectos, nomeadamente a cumplicidade e o envolvimento com o anterior regime, não são conhecidos feitos e obra que justifiquem tal distinção", refere a oposição CDU.
Segundo os vereadores comunistas, "o único argumento" apresentado por Pulido Valente para justificar a proposta de atribuir o nome de José Dias Cara Nova a uma rua da cidade foi o facto de ter sido um familiar do visado a sugerir a atribuição.
No comunicado, os vereadores da CDU lembram que Pulido Valente tinha manifestado, em 2012, por proposta da comissão municipal de toponímia, "a intenção de perpetuar os nomes de todos os anteriores presidentes" da Câmara de Beja, "incluindo os anteriores ao 25 de Abril", em ruas da cidade, o que "foi motivo de forte denúncia e contestação".
Confrontado pela Agência Lusa, Pulido Valente escusou-a a reagir à acusação dos vereadores da CDU.
Entretanto, também a Associação para Defesa do Património Cultural da Região de Beja (ADPB) veio a público manifestar a sua discordância com a alteração do nome de algumas das ruas do centro histórico da cidade, nomeadamente das ruas do Vale e do Canal, que a autarquia quer “rebaptizar” com os nomes dos falecidos médicos Covas Lima e Horácio Flores.
Em comunicado, a direcção da ADPB pede “bom senso” aos vereadores da Câmara de Beja, esperando que estes homenageiem os seus cidadãos “sem destruir a cultura patrimonial e preservem a história milenar de um povo que se orgulha da sua terra e da sua história”.
“O dr. ‘Nana’, o Dr. Flores e todos aqueles que merecem ser homenageados ficar-vos-iam muito gratos”, acrescenta o comunicado da associação, que conclui: “A direcção da ADPB vem manifestar o enorme contentamento pela homenagem às suas figuras ilustres, mas juntando a sua voz ao pensamento dos homenageados, contesta a alteração dos nomes tradicionais dos seus arruamentos, porque estes encerram uma história que não é de ninguém em particular, pertence-nos a todos e urge preservar”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima