Municípios e entidades do Baixo Alentejo defendem aeroporto e Alqueva

Municípios e entidades do Baixo Alentejo defendem aeroporto e Alqueva

O futuro do aeroporto de Beja e do projecto agrícola do Alqueva continuam a estar entre as maiores preocupações dos responsáveis políticos e empresariais do Baixo Alentejo.
No caso do aeroporto, nove instituições da região defendem que o Governo deve considerar a infra-estrutura baixo-alentejana como complemento ao de Lisboa, argumentando que esta "reúne as condições necessárias" e "é a hipótese que apresenta mais vantagens".
A "solução Portela+1 passando por Beja" é defendida e fundamentada numa carta, que já foi entregue ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, segundo um comunicado enviado pela Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral (Ambaal), uma das nove instituições subscritoras do documento, a par do NERBE, da Turismo do Alentejo, da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, do IPBeja, da Câmara de Beja, da Associação do Comércio, Serviços e Turismo do Distrito de Beja, da Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo e da ACOS – Agricultores do Sul.
Já sobre Alqueva, são os municípios e associações de agricultores do Baixo Alentejo que exortam o Governo a adoptar as "medidas indispensáveis à rápida conclusão" do Alqueva, o que consideram "um imperativo nacional", argumentando que "não há justificação razoável para mais adiamentos".
"A rápida conclusão do Alqueva é um imperativo nacional e não há justificação razoável para mais adiamentos nesta última fase do empreendimento", defendem a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) e a Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) numa posição conjunta.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima