Municípios contra fecho da maternidade de Beja

Municípios contra fecho

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (Cimbal) assumiu esta semana ser contra a nova portaria 82/ 2014, que pode implicar o fecho da maternidade de Beja.
Em nota de imprensa emitida depois da reunião de segunda-feira, 12, do conselho intermunicipal da Cimbal, os municípios sublinham que a portaria que procede à qualificação do parque hospitalar nacional e o seu planeamento estratégico preconiza na prática, “e até ao fim de 2015, a restrição de valências existentes nos diversos hospitais, desclassificando instituições e levando a que os utentes se tenham de deslocar a outros hospitais, com distâncias maiores e com todos os inconvenientes que daí decorrem”.
No caso concreto do Baixo Alentejo, a Cimbal alega que a portaria pode implicar o desaparecimento do hospital de Serpa, assim como a extinção no hospital de Beja de valências como Oftalmologia, Cardiologia, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Oncologia Médica, Radioterapia, Reumatologia, Hematologia ou Obstetrícia – o que obriga ao encerramento da maternidade de Beja.
“A nossa preocupação é grande, porque esta é uma situação que, a concretizar-se, trará graves problemas a nível de saúde pública, restringindo ainda mais o acesso a este bem essencial por parte de quem mais precisa”, argumenta a Cimbal, garantindo ir continuar “a envidar todos os esforços junto das entidades competentes para que estas medidas não sejam concretizadas”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima