Mário Simões refuta críticas da Concelhia de Beja do PS

Mário Simões refuta críticas da Concelhia de Beja do PS

O líder da Distrital do PSD e deputado eleito por Beja refuta as críticas que lhe foram endossadas esta quinta-feira, 21, pela concelhia bejense do PS, garantindo que o recém-eleito António Mourão “não vai contar” com a sua “colaboração para se afirmar através do insulto e do vazio de ideias”.
Em comunicado, Mário Simões vinca com ironia que ler algumas das afirmações de António Mourão o fizeram lembrar “um cantor seu homónimo de tempos idos”, que cantava “Oh tempo volta pra trás/ Traz-me tudo o que eu perdi/ Tem pena e dá-me a vida/ A vida que eu já vivi”.
António Mourão “ainda mal chegou e já está a pretender marcar a agenda com base em ataques e insultos de baixo nível. Gostava mais que houvesse ideias em debate e não apenas divagações sobre uma matéria que o deveria fazer reflectir”, continua Simões, aconselhando o líder da Concelhia do PS a consultar os relatórios do Tribunal de Contas sobre o aeroporto de Beja, a Parque Escolar ou as parcerias público-privadas.
“A sorte dos baixo-alentejanos é que o tempo não volta para trás, como o senhor Mourão desejaria. Mas se tal tivesse sido possível não era só o engenheiro José Sócrates que se tinha ‘exilado’ em Paris”, argumenta o líder social-democrata, para quem os novos dirigentes socialistas de Beja estão a insistir na “repetição de um fraseado muito pobre, demasiado óbvio e nada esclarecedor”.
Sobre o processo de construção da A26/ IP8, Mário Simões revela que dentro de pouco tempo “os baixo-alentejanos irão saber ponto por ponto o que significaria, no concreto, o investimento no modelo desenhado pelo anterior Governo”.
“Este modelo, envenenado, minado por uma assustadora falta de estratégia. A herança foi de uma auto-estrada falida”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima