Mário Simões lamenta falta de acordo entre PSD e CDS na revisão da lei eleitoral autárquica

Mário Simões lamenta falta de acordo entre PSD e CDS na revisão da lei eleitoral autárquica

O presidente da Distrital de Beja do PSD lamenta que os partidos da coligação governamental, PSD e CDS-PP, não tenham chegado a acordo para a revisão da actual lei eleitoral autárquica.
“Foi com surpresa e também com estranheza que soube da decisão do PSD de não apresentar a proposta de revisão da lei eleitoral autárquica. Acho que o PSD tem aqui um retrocesso na sua ambição reformadora. O PSD é um partido reformador e tinha aqui uma oportunidade forte de poder marcar a diferença”, vinca o também deputado Mário Simões ao “CA”.
Falando na condição de líder da Distrital e de membro da Comissão Política Nacional dos Autarcas Social-Democratas (ASD), Simões não esconde que olhava com “outro carinho” para a reforma que o PSD pretendia implementar, até porque trabalhou muito, juntamente com os seus companheiros da ASD, “nesta proposta de revisão”.
Por tudo isto, e apesar de garantir aceitar “alguns dos argumentos invocados”, o dirigente social-democrata lamenta o recuo do PSD na matéria, até por entender que “o sentido de estado e a importância da estabilidade política têm de ter um limite”.
Mário Simões considera igualmente que este desfecho “não põe em causa a estabilidade governativa nem tão pouco o relacionamento institucional entre o PSD e o CDS”, mas não deixa de lembrar aos centristas que “quem ganhou as eleições [legislativas de 2011] foi o PSD”.
“É bom que todos os agentes políticos, protagonistas e responsáveis tenham sempre isto presente. E espero que em termos futuros esta decisão seja uma excepção e não a regra”, conclui o dirigente laranja.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima