"Mineiro" Paulo Serrão quer jogar mais anos

"Mineiro" Paulo Serrão

Aos 38 anos, o médio Paulo Serrão continua de “pedra e cal” no onze inicial do Mineiro Aljustrelense, equipa que lidera actualmente o campeonato distrital da 1ª divisão.
“O facto de estar a ser utilizado na equipa titular indica que estou a trabalhar e a ser útil à equipa. E é isso que me faz querer adiar a minha retirada do futebol”, confessa ao “CA” o experiente jogador, que apesar de levar já uma carreira de duas décadas ainda se sente com “força de vontade” para continuar a jogar mais algum tempo.
“Quando temos vontade – que é o meu caso – e um grande prazer naquilo que faço, tento sempre dar o máximo e adiar cada vez mais a minha retirada”, confessa.
Formado no Benfica, Paulo Serrão estreou-se como sénior na época 1993-1994 ao serviço do Mineiro Aljustrelense e desde então já passou por mais de uma dezena de clubes, entre os quais o então primodivisionário Farense.
Há 10 temporadas que voltou a usar o símbolo do Mineiro Aljustrelense ao peito, mas nos últimos verões a ideia de “pendurar” as chuteiras começa a ser cada vez mais recorrente.
“Isso ocorre-me sempre antes de começar cada época. Porque nunca sei como vai ser o meu comportamento em termos físicos! Daí que fique sempre a pensar se será este ano que, a meio da época, terei de dizer chega. Mas o resultado dentro de campo tem sido positivo”, sublinha, sem esconder a “receita” que aplica frente aos jogadores mais jovens… e mais rápidos: “É o posicionamento, claro! São jogadores ainda com aquela energia toda e o que nós fazemos é conservar a bola. E quando a malta mais nova não tem a bola perde a paciência”.
Paulo Serrão faz um balanço “positivo” da sua carreira e não esconde que o futebol é a sua “grande paixão”.
Daí que quando tiver de deixar de jogar pretenda ser treinador.
“Quem gosta de futebol e vive isto há tantos anos como eu pensa sempre em chegar a treinador sénior. Mas uma coisa de cada vez”, justifica o ainda atleta, que para já se vai deliciando com a experiência de trabalhar com os escalões de formação do Mineiro Aljustrelense.
“Agora treino a equipa de infantis e é óptimo trabalhar com os miúdos. Porque eles têm uma sinceridade incrível e são mais espontâneos. Se entenderem, dizem-me sem rodeios que não gostaram do exercício! Daí que eu tente sempre preparar bem os treinos deles, de modo a motivá-los e que eles, ao mesmo tempo que aprendem, se divirtam”, conta.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima