“Marcha lenta” exige obras no IP2 e IP8

“Marcha lenta” exige obras no IP2 e IP8

Mais de duas dezenas de entidades promovem esta quinta-feira, 23, uma “marcha lenta” a exigir o recomeço das obras de requalificação do IP2 e de construção do IP8.
O protesto, que arranca às 8h30, é coordenado pela Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (Cimbal), pelo NERBE e pela Turismo do Alentejo e visa reafirmar perante o Estado e a Estradas de Portugal a “indignação” dos baixo-alentejanos perante as “injustas decisões tomadas” sobre as duas vias rodoviárias, “com prejuízos visíveis para automobilistas, populações, empresas e espectativas de desenvolvimento regional”.
De acordo com a organização do protesto, um dos locais de concentração será a rotunda na saída de Beja para Castro Verde, onde o trânsito girará durante 30 minutos, o mesmo sucedendo nas rotundas da cidade para Aljustrel e para Ferreira do Alentejo/ Vidigueira.
No IP2 a marcha lenta decorrerá entre Entradas-Castro Verde, Trindade-entroncamento da saída para Mértola e Algarve, entroncamento da primeira entrada para Vidigueira até saída para Vidigueira; e entroncamento de Cuba/ Alvito até aos segundos semáforos de São Matias.
Quanto ao IP8, o trânsito irá ser mais lento entre a entrada de Brinches e a ponte do Guadiana, e entre a primeira rotunda de Ferreira do Alentejo e o entroncamento de entrada nesta vila.
Entretanto, as juntas de freguesia de Albernoa, Santa Clara de Louredo e Trindade promovem esta quinta-feira, a partir das 18h00, o acto simbólico de colocação de uma faixa junto ao cruzamento da Trindade.
“Queremos mostrar o descontentamento pelas condições péssimas em que se encontra a estrada, bem como exigir a conclusão imediata das obras e da segurança rodoviária nesta via”, justifica em comunicado a presidente da Junta de Freguesia de Albernoa, Sandra Margarida.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima