Luís Mira Coroa lança livro de poesia

Luís Mira Coroa

Luís Mira Coroa aproveitou alguns dos tempos mortos da última campanha da azeitona para “ir escrevinhando” umas palavras e assim nasceram os 35 poemas de Versos Vibrados.
O livro de poesia é apresentado esta quinta-feira, 7, em Lisboa e marca a estreia literária deste agricultor em Serpa.
“Como trabalho no campo, costumo escrever nas costas dos envelopes. Algumas coisas fico com elas, outras deito fora. Mas depois ofereceram-me um caderninho para andar no carro e assim não os deitei fora [risos]. E consegui compilar estes poemas”, confidencia ao “CA” Luís Mira Coroa, de 53 anos.
Em Versos Vibrados é o coração que dita regras. “A maior parte dos poemas são sobre paixões e o resto são reflexões sobre o mesmo tema. Isto anda sempre à volta do amor, porque só pode haver poesia com amor”, vinca o autor, não escondendo que a obra dá a conhecer o seu “outro lado”. “Revela um lado de coração, de paixão, que é uma coisa que no dia-a-dia não mostramos a toda a gente. Mas tudo depende da disposição da alma”, admite.
Com edição da Letras Paralelas, Versos Vibrados junta os poemas de Luís Mira Coroa às ilustrações da artista (e amiga) Margarida de Araújo.
“São duas coisas que se complementam e acho que assim o livro tem mais garra, é mais bonito e agradável à vista. E estimula o pensamento”, explica o autor.
Luís Mira Coroa só agora se “aventura” no mundo literário, mas a escrita há muito que é uma constante na sua vida. “Desde que aprendi a escrever que fui escrevendo coisas… para mim ou para alguém. Nunca tive grande timidez com a escrita”, sublinha, admitindo poder vir a repetir a experiência.
“Tenho mais coisas! Além do mais, a vida tem de ser vivida com intensidade, porque um dia partimos. E quero deixar um pouco da minha maneira de viver, da intensidade com que vivo a vida, através da escrita”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima