Luís Martins candidato à Federação da JS

Luís Martins candidato

O jovem Luís Carlos Martins, de 29 anos e natural de Almodôvar, é candidato à presidência da Federação do Baixo Alentejo da Juventude Socialista, que vai a votos já no próximo mês de Dezembro, sendo que o congresso federativo se realizará em Mértola.
“A Força de uma Geração” é o mote da candidatura de Luís Carlos Martins, que até há bem pouco tempo liderou a JS de Almodôvar e que diz avançar pelo repto que lhe foi sendo “lançado ao longo dos últimos meses por muitos militantes para liderar a construção de um projecto ambicioso e de renovada energia e dinâmica na JS Baixo Alentejo”.
“Estou consciente da exigência e da responsabilidade da missão a que me proponho, mas é provido da coragem, da determinação e da irreverência com que sempre tenho pautado a minha militância na JS, que torno pública a minha candidatura”, garante Luís Carlos Martins, garantindo ter um conhecimento “suficientemente alargado e profundo” para se sentir “preparado para liderar a maior e mais relevante estrutura politica jovem da região”.
Na opinião de Luís Carlos Martins, “esta que é a geração mais qualificada, informada e globalizada que a região já conheceu é, também, uma geração inconformada e resiliente, que não se rende perante os constrangimentos de um território onde ainda muito falta fazer e que está, ela mesmo, determinada em ser parte ativa na acfirmação de um Baixo Alentejo de oportunidades e de futuro”.
Por isso mesmo, acrescenta, “é com a força de uma geração resiliente e qualificada, globalizada e conectada, mas que não esquece as suas raízes, que valoriza a sua identidade histórica e cultural e que não se resigna perante as desigualdades sociais nem as assimetrias regionais, que a JS Baixo Alentejo deve assumir, sem receios, a linha da frente no debate pela construção de respostas e soluções para os desafios geracionais e regionais”.
Entre estes, Luís Carlos Martins destaca as eleições Autárquicas de 2021, “momento que colocará à prova a firmeza do nosso projecto, a robustez das nossas convicções e a força da nossa militância”.
“Só uma JS Baixo Alentejo de militância capacitada e comprometida, terá a voz suficientemente forte e exigente face a sua participação política e representatividade eleitoral, que lhe assegure a capacidade de implementar as suas ideias”, conclui o candidato à Federação do Baixo Alentejo da JS.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima